Negócios
Acompanhe:

Quem é o chinês escolhido para liderar a Tesla — logo abaixo de Elon Musk

Tom Zhu comanda a operação na montadora na China, um dos principais mercados para a Tesla tanto em vendas quanto em produção de veículos

A entrada de um número 2 no circuito chega em momento propício. Elon Musk recebido críticas de analistas e investidores por suposto descaso com a montadora de carros de elétricos (Aly Song/File Photo/Reuters)

A entrada de um número 2 no circuito chega em momento propício. Elon Musk recebido críticas de analistas e investidores por suposto descaso com a montadora de carros de elétricos (Aly Song/File Photo/Reuters)

M
Marcos Bonfim

3 de janeiro de 2023, 10h48

A Tesla passa a ter um número 2, Tom Zhu, executivo que lidera a operação na montadora na China. Ele assumiu em 2014, logo após Veronica Wu, então presidente para o país asiático, deixou o cargo.

Na nova posição, revelada pela Reuters, Zhu irá supervisionar diretamente as fábricas de montagem nos Estados Unidos e ainda as operações de vendas na América do Norte e na Europa. De acordo com a publicação, apesar da promoção, o profissional segue líder para a China e executivo de vendas para a Ásia.

A partir dessa configuração, Zhu vai cobrir os principais mercados de compra dos veículos da Tesla e também os centros de produção da montadora.

A Tesla não se manifestou sobre a notícia.

Qual é o momento da Tesla

A entrada de um novo executivo no circuito chega em momento propício, quando Elon Musk recebe críticas de analistas e investidores por seu suposto descaso com a montadora de carros de elétricos. Com a compra do Twitter, o bilionário vendeu enormes quantidades de ações da Tesla para pagar pela plataforma.

A movimentação acendeu um alerta amarelo e surgiram especulações sobre o futuro da montadora. Como resultado, as ações, já em queda ao longo de 2022, aceleraram as perdas e terminaram o ano com desvalorização em torno de 70%. Os papéis valiam US$ 382,58 na abertura em 3 de janeiro de 2022 e encerraram em US$ 119,95 em 30 de dezembro.

A retração dos papéis contribuiu para que Musk saísse do posto de homem mais rico do mundo e perdesse mais de US$ 200 bilhões em pouco mais de um ano.

A indicação de um número 2 é uma forma Elon Musk responder à pressão do mercado e dos investidores e mostrar que tem profissionais gabaritados para a função. A China, país em Zhou lidera a operação, é o segundo mercado mais importante para a montadora em vendas, atrás apenas dos Estados Unidos.

A Tesla também tem no país asiático a principal fábrica para a exportação de veículos. A produção da unidade de Xangai supre a demanda da maioria dos países fora da América do Norte.

Foi sob a gestão Zhu que a fábrica se recuperou dos bloqueios provocados pelas restrições impostas pelo governo na luta contra a pandemia de Covid-19.

Os novos números da montadora de Elon Musk

A montadora anunciou nesta segunda-feira, 2, ter entregue 1,31 milhão de veículos elétricos em 2022 —, 40% a mais do que em 2021. Apesar de ser um número recorde, o dado está abaixo da expectativa da própria Tesla e do mercado

Nesta terça, 3, as ações abriram em queda e caem mais de 4%.

Leia também: