Negócios
Acompanhe:

Elon Musk é a primeira pessoa a perder mais de 200 bilhões de dólares

A fortuna de Musk é estimada atualmente em US$ 133 bilhões, segundo o índice de bilionários da Bloomberg

As ações da Tesla caíram cerca de 70% e enceraram 2022 valendo de US$ 119,95 (Creative Commons/Divulgação)

As ações da Tesla caíram cerca de 70% e enceraram 2022 valendo de US$ 119,95 (Creative Commons/Divulgação)

M
Marcos Bonfim

2 de janeiro de 2023, 15h58

Elon Musk, fundador da Tesla e da SpaceX, entrou para a história mais uma vez. É a primeira pessoa no mundo a perder mais de 200 bilhões de dólares. Tempos atrás, o bilionário também tinha se tornado o primeiro a ultrapassar a barreira dos 300 bilhões de dólares.

A fortuna do bilionário alcançou o seu ápice em 4 de novembro de 2021, quando chegou a US$ 340 bilhões, acompanhando a evolução das ações da montadora Tesla.

De lá para cá, os números começaram a declinar. A queda ganhou tração nos últimos meses, o que fez com que o executivo perdesse a liderança como o homem mais rico do mundo, posto que mantinha desde o começo de 2021. Bernard Arnault, dono da LVMH (Louis Vuitton Moët Hennessy), empresa que engloba, entre outras marcas, Louis VuittonTiffany’sSephora e a Dior, é atualmente a pessoa mais rica do mundo.

Segundo o índice de bilionários da Bloomberg, nesta segunda, 2, a fortuna de Musk é estimada atualmente em US$ 133 bilhões.

Como perdeu mais de 200 bilhões em pouco mais de um ano

A diminuição é, em parte, explicada como resultado do cenário econômico mundial mais desafiador com guerra na Ucrânia e o temor de recessão generalizada, o que contribuiu para a queda o mercado de ações ao redor do mundo e da Tesla, de onde vinha a maior parte da riqueza de Musk.

Outra fatia muito importante nesta equação foi a compra do Twitter, decisão que envolveu muitas idas e vindas e polêmicas. Quando concluiu o negócio, Musk vendeu volumes expressivos de suas ações da Tesla para honrar os novos compromissos.

O fato gerou e ainda desconfianças em muitos acionistas da fabricante de carros. Isso fez com que muitos reduzissem ou zerassem as suas posições em ações da montadora.

Como consequência, ao longo de 2021, as ações acumularam perdas em torno de 70%. Os papéis valiam US$ 382,58 na abertura em 3 de janeiro de 2022 e encerraram em US$ 119,95 em 30 de dezembro.

De onde vem a riqueza de Elon Musk hoje

De acordo com o Índice de Bilionários da Bloomberg, a queda do valor das ações, combinada à venda de elevados montantes dos papéis para o pagamento do Twitter, fez com que a maior parte de riqueza de Musk não esteja mais associada à montadora.

A SpaceX, da qual ele detém 42,2% de participação, segundo documentos da companhia, passou a ser a principal fonte dos recursos, com US$ 44,8 bilhões. Em ações da Tesla, o bilionário teria o equivalente a US$ 44 bilhões.

Como Elon Musk construiu o seu patrimônio 

bilionário começou a ganhar os seus primeiros milhões no século passado. Na década de 1990, vendeu a sua primeira empresa, a Zip2, por valor superior a US$ 300 milhões. Na sequência, lançou o sistema de pagamento online X.com que mais tarde se tornaria o PayPal. Em 2022, vendeu a plataforma para o eBay por US$ 1,5 bilhão.

No mesmo ano, pegou US$ 100 milhões da sua fortuna para criar a SpaceX, com a qual quer reduzir os custos da viagem espacial. A Tesla, a principal entre as suas companhias atualmente, nasceu um ano depois, em 2003.

Outra empresa relevante no portfolio do executivo é a The Boring Company, criada em 2016. Ela desenvolve tecnologia de túneis com a estratégia de que esses espaços serão usados no futuro para viabilizar viagens mais rápidas de carros elétricos, como os da Tesla. Recentemente, a companhia levantou US$ 675 milhões, com um valuation de US$ 5,7 bilhões.

Leia também: