Direção sem as mãos? Ford quer vender 100.000 carros “hands free” em 2021

O sistema permite que o motorista não precise conduzir o veículo ativamente durante todo o trajeto

A Ford deu mais um passo rumo à automação de seus veículos. A montadora anunciou nesta sexta-feira, 30, que projeta vendas de 100.000 veículos em 2021 com o sistema Hands-Free, que permite novas formas de condução com automação veicular.

Inovação abre um mundo de oportunidades para empresas dos mais variados setores. Veja como, no curso Inovação na Prática.

Batizado de Active Drive Assist, o sistema permite que o motorista conduza o veículo com as mãos livres enquanto é monitorado por uma câmera voltada para ele para garantir que mantenha seus olhos na via. Segundo a montadora, há potencial ainda para mais melhorias no futuro.

O recurso, disponível por ora apenas no mercado americano, pode ser usado em rodovias pré-selecionadas.

Com tecnologias avançadas de inteligência artificial, a câmera voltada para o motorista rastreará o olhar e a posição da cabeça para garantir atenção à estrada no modo mãos-livres e também no modo de centralização da pista, que funciona em qualquer via com faixas. O condutor será notificado por avisos visuais em seu painel de instrumentos quando precisar voltar sua atenção total para a estrada ou retomar o controle do veículo.

O novo recurso chegará primeiro à picape F-150, veículo mais vendido dos Estados Unidos há 40 anos, e ao Mustang Mach-E, versão elétrica do ícone da marca.

“A Ford espera vender mais de 100.000 unidades da F-150 e do Mustang Mach-E equipados com o hardware de tecnologia Active Drive Assist em seu primeiro ano”, disse a montadora em comunicado.

A companhia destaca que espera “expandir rapidamente o número de veículos nas estradas equipados com a tecnologia de direção sem as mãos”, o que inclui aproximadamente 80% dos veículos Mustang Mach-E vendidos nos Estados Unidos.

A Ford acrescenta que estes avanços permitem reduzir o estresse principalmente em longas viagens. “O Active Drive Assist pode ajudar a melhorar a experiência de direção ao mesmo tempo em que garante que o motorista permaneça ciente e totalmente no controle do veículo”, diz Hau Thai-Tang, diretor de plataforma de produtos e operações da Ford.

Os veículos autônomos são classificados em uma escala de 1 a 5 e, atualmente, os modelos disponíveis no mercado estão no nível 2 (conhecidos como semiautônomos), pois o motorista ainda é considerado responsável pelo carro. Nos níveis 3, 4 e 5, o automóvel vai assumir o controle, passará a compreender o comportamento do motorista e repetí-lo.

O sistema faz parte de um movimento global das montadoras para desenvolver o carro do futuro. Além dos modelos elétricos, que já são uma realidade, os veículos autônomos são a grande aposta das empresas para os próximos dez anos.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 15,90/mês

  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 44,90/mês

  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa quinzenal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.