Mundo

Que horas sai o resultado da eleição na Argentina?

O mundo deve conhecer neste domingo, 19, o novo presidente da Argentina após disputa eleitoral acirrada

O ministro da Economia, Sérgio Massa, e o deputado ultraliberal Javier Milei estão na disputa do segundo turno (Luis Robayo/AFP)

O ministro da Economia, Sérgio Massa, e o deputado ultraliberal Javier Milei estão na disputa do segundo turno (Luis Robayo/AFP)

Publicado em 19 de novembro de 2023 às 06h01.

Última atualização em 19 de novembro de 2023 às 16h22.

Após um primeiro turno surpreendente, o mundo deve conhecer o novo presidente da Argentina neste domingo, 19, entre 21 horas e 22 horas. O ministro da Economia, Sérgio Massa, e o deputado ultraliberal Javier Milei estão na disputa, que promete ser acirrada e se inicia às 8 horas.

Na última pesquisa AtlasIntel, Milei liderava com 52,1% das intenções, ante 47,9% de Massa. Pesquisas anteriores também consolidavam o cenário acirrado, de empate, mas com leve vantagem para Milei.

O primeiro lugar nas primárias deste ano, que aconteceu em agosto, ficou com Milei, do Liberdade Avança, com 29,86%. Juntos pela Mudança, de Patricia Bullrich, ficou em segundo, com 28%. Em em terceiro lugar, ficou a União pela Pátria, de  Massa, com 27,28%. Para vencer no primeiro turno, o candidato precisaria ter mais de 45% dos votos – ou mais de 40% desde que com uma diferença superior a 10 pontos percentuais do segundo colocado.

Que horas sai o resultado da Eleição na Argentina?

O resultado deve ser divulgado entre 20h e 21h deste domingo, 19.

Eleições na Argentina

Como funcionam as eleições na Argentina?

Tudo o que você precisa saber sobre Sergio Massa

Tudo o que você precisa saber sobre Javier Milei

Acompanhe tudo sobre:ArgentinaJavier MileiSergio Massa

Mais de Mundo

Delta e American Airlines retomam voos após apagão online global

OMS confirma detecção do vírus da poliomielite no sul e no centro de Gaza

Europa está em alerta vermelho por intensa onda de calor com incêndios e invasões de gafanhotos

Apagão cibernético: Governos descartam suspeitas de ataques hacker e mantêm contatos com Microsoft

Mais na Exame