Mundo
Acompanhe:

Impasse pode levar Alemanha a novas eleições

ÀS SETE - Chanceler alemã não conseguiu formar uma coalizão e agora cogita convocar novas eleições no país

Angela Merkel: chanceler sinaliza convocar outras eleições na Alemanha (Michele Tantussi/Reuters)

Angela Merkel: chanceler sinaliza convocar outras eleições na Alemanha (Michele Tantussi/Reuters)

E
EXAME Hoje

21 de novembro de 2017, 07h42

O ministro das Relações Exteriores do Catar visita a Alemanha  nesta terça-feira, e vai se deparar com um cenário de instabilidade política no país.

Os dois países vão inaugurar o Centro Cultural Arábico, mais uma demonstração do governo alemão de seu comprometimento com a integração com novas culturas, e com imigrantes.

Às Sete – um guia rápido para começar seu dia

Leia também estas outras notícias da seção Às Sete e comece o dia bem informado:

É uma das principais bandeiras da chanceler Angela Merkel e um dos motivos de sua imagem internacional. Acontece que, da porta para dentro, ela tem se deparado com problemas de outra natureza.

Merkel não conseguiu formar uma coalizão, e cogita convocar novas eleições. Segundo ela, seriam “melhor caminho para o país”. Durante o fim de semana, a chanceler tentou se unir com os partidos Verde, CSU e FDP e formar a coalizão Jamaica (devido às cores verde, amarela e preta dos partidos), mas não obteve sucesso.

Os partidos não se entendem em temas decisivos. Os Verdes, por exemplo, possuem programas políticos de inserção de refugiados. Esta não é a mesma linha do partido de Merkel (CDU), que já afirmou que reduziria a entrada de imigrantes no país, durante sua campanha de reeleição.

Os partidos também divergem quando às ações para conter as mudanças climáticas. Tanto o FDP quanto o partido de Merkel falharam ao negociar com os Verdes quais seriam as ações da Alemanha para diminuir a emissão de CO2. Um problema para Merkel, que durante a COP 23 (Conferência da ONU sobre Mudanças Climáticas, que terminou semana passada) afirmou que o país só conseguiria reduzir as emissões em 2020.

Segundo o líder do partido Social-Democrata, Martin Schulz, uma nova eleição daria mais uma chance para os eleitores participarem da escolha de governo do país. A líder do partido Verde, Kathrin Goering-Eckardt, afirmou que o partido espera nova eleições.

Em uma corrida contra o tempo, Merkel conta com o apoio do presidente Frank-Walter Steinmeier, que vai se reunir amanhã com líderes dos partidos de esquerda e de direita, para propor uma grande coalizão. A chanceler afirmou ainda que não pretende renunciar, e que se novas eleições forem convocadas, o bloco conservador – do qual também é líder – chegaria ainda mais forte e unido.

Especialistas, porém, temem que as novas eleições seriam uma guinada para o partido ultranacionalista AfD. Na última votação, o partido garantiu 92 dos 709 assentos do Parlamento alemão.