Mundo

Coreia do Norte dispara dois novos mísseis balísticos, segundo militares do Sul

Caso aconteceu nesta segunda-feira, 1º; no dia anterior já havia tido o registro de outro lançamento

O exército da Coreia do Norte exibe o que parecem ser novos mísseis balísticos intercontinentais, em 10 de outubro de 2020, durante um desfile militar em Pyongyang. (Cat BARTON/AFP)

O exército da Coreia do Norte exibe o que parecem ser novos mísseis balísticos intercontinentais, em 10 de outubro de 2020, durante um desfile militar em Pyongyang. (Cat BARTON/AFP)

Agência o Globo
Agência o Globo

Agência de notícias

Publicado em 1 de julho de 2024 às 07h49.

Última atualização em 1 de julho de 2024 às 07h51.

A Coreia do Norte lançou dois mísseis balísticos, nesta segunda-feira, 1º, o segundo dos quais teria explodido em pleno voo, informaram as Forças Armadas sul-coreanas. Um dia antes, houve o registro de um outro lançamento, em direção ao Leste.

O primeiro míssil balístico de curto alcance foi lançado às 5h05 (hora local) de domingo e o segundo cerca de dez minutos depois, informou o Estado-Maior Conjunto (EMC) sul-coreano, em comunicado.

“O míssil balístico de curto alcance (…) voou cerca de 600km” e o segundo percorreu 120km, indicou a organização militar.

O porta-voz da EMC, Lee Sung-jun, disse que o segundo míssil parecia ter um voo anormal no estágio inicial e acabou explodindo.

Dada a sua trajetória, tudo indica que os destroços teriam caído sobre a própria Coreia do Norte.

“As nossas Forças Armadas reforçaram a vigilância e preparação para possíveis novos lançamentos”, afirmou a EMC, acrescentando que compartilhou informações sobre o incidente com Estados Unidos e Japão.

A agência oficial norte-coreana KCNA não confirmou os lançamentos, por enquanto.

O porta-voz da EMC não quis comentar se os últimos lançamentos eram um teste de mísseis que seriam fornecidos à Rússia para a guerra na Ucrânia.

Os disparos ocorrem dias depois de a Coreia do Norte afirmar ter testado com sucesso um míssil de ogivas múltiplas, que a Coreia do Sul disse ter explodido durante o voo.

As relações entre as duas Coreias estão num dos pontos mais críticos dos últimos anos, com o Norte intensificando os testes de armas, enquanto lança balões carregados de lixo para o Sul.

Pyongyang diz que esses balões são uma retaliação aos balões carregados com propaganda antirregime que os ativistas enviam da Coreia do Sul.

Acompanhe tudo sobre:Coreia do NorteCoreia do Sul

Mais de Mundo

Republicanos exigem renúncia de Biden, e democratas celebram legado

Apesar de Kamala ter melhor desempenho que Biden, pesquisas mostram vantagem de Trump após ataque

A estratégia dos republicanos para lidar com a saída de Biden

Se eleita, Kamala será primeira mulher a presidir os EUA

Mais na Exame