Volkswagen pede desculpas por propaganda racista

A empresa alemã, que teve sua reputação manchada após admitir fraudes em testes de emissões de poluição, afirmou não tolerar nenhuma forma de racismo

A Volkswagen retirou nesta quarta-feira uma propaganda do modelo Golf de sua página oficial no Instagram, que a montadora admitiu ser racista e ofensivo, dizendo que vai investigar como o anúncio foi produzido e veiculado.

A empresa alemã, que teve sua reputação manchada nos últimos cinco anos após ter admitido fraudes nos testes de emissões de poluição por motores diesel, afirmou que não tolera nenhuma forma de racismo.

O anúncio no Instagram mostra grandes mãos de pele branca que parecem empurrar e depois afastam um homem negro de um novo Golf amarelo estacionado em uma rua.

A televisão alemã observou que a mão pode ser interpretada como um gesto de “poder branco”, enquanto as letras que aparecem na tela depois soletram brevemente uma ofensa racista em alemão.

Juergen Stackmann, membro do conselho de vendas e marketing da marca VW, e Elke Heitmueller, chefe de gestão de diversidade, se desculparam no Twitter e LinkedIn.

“Entendemos a indignação pública com isso. Porque também estamos horrorizados. Este vídeo é um insulto a todas as conquistas do movimento pelos direitos civis. É um insulto a toda pessoa decente”, escreveram.

“Nós da Volkswagen estamos cientes das origens históricas e da culpa de nossa empresa durante o regime nazista. É exatamente por isso que nos opomos resolutamente a todas as formas de ódio, difamação e discriminação.”

Fundada sob ordens de Adolf Hitler para construir o “carro do povo”, a VW empregava trabalhadores forçados para o esforço de guerra nazista.

Um porta-voz da Volkswagen disse que as agências geralmente produzem suas campanhas publicitárias e que a empresa está investigando o que aconteceu e que vai tornar público o resultado da investigação.

Apoie a Exame, por favor desabilite seu Adblock.