Barbas viram mídia nos Estados Unidos

Agência americana cria mais um espaço de comercialização do corpo humano pagando 5 dólares por dia

São Paulo - Há um bom tempo a maioria dos homens não usa mais barbas longas como antigamente, com exceção de algumas regiões que ainda cultivam o estilo como cultura.

O que antes era algo corriqueiro, hoje é inusitado, e por isso, chama muito mais a atenção das pessoas nas ruas. Tem gente de olho em capitalizar mais essa parte do corpo humano.

Tanto é que a agência americana Cornett-IMS criou a “beardvertising”, e está pagando US $ 5 por dia para colocar um pequeno anúncio na barba de alguns homens.

O movimento já ganhou um adepto, a cadeia de fast food A & W, que aprovou e apostou no conceito Beardvertising.

Se por um lado a utilização das barbas está gerando buzz na publicidade americana, no Brasil , a Gillette fez o trabalho contrário para promover seu aparelho de barbear, raspando os pelos de celebridades como José de Abreu e o cantor Bel Marques, da banda Chiclete com Banana.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 4,90/mês
  • R$ 14,90 a partir do segundo mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 129,90/ano
  • R$ 129,90 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 10,83 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Veja também