Acompanhe:

Bolsa é como Las Vegas sem as dançarinas, diz George Clooney

Ator afirmou que fica longe do mercado acionário porque é possível perder dinheiro sem nenhuma diversão

George Clooney quer distância do mercado financeiro (Getty Images)

George Clooney quer distância do mercado financeiro (Getty Images)

L
Lilian Sobral

15 de dezembro de 2011, 09h30

São Paulo – O ator e diretor George Clooney parece ser um investidor conservador. Em uma entrevista para a edição de janeiro da revista Esquire, Clooney falou um pouco sobre seus investimentos.

O ator confessou que mantém distância da bolsa de valores e ainda fez uma comparação nada convencional. “Para mim, isso [a bolsa] é como [Las] Vegas sem as dançarinas”, disse ao afirmar que o dinheiro vai embora sem nenhuma diversão ou participação do investidor.

Como o período é de crise, Clooney ainda deu uma importante lição financeira. O ator conta que em 2011, assim que conseguiu, quitou o pagamento de sua casa. “Tudo para ter uma base se as coisas ficarem ruins”. O plano é ter um patrimônio fixo para vender e obter algum dinheiro se momentos mais difíceis chegarem.