Acompanhe:

Ibovespa hoje: bolsa sobe e dólar cai em meio a rali no exterior por ativos de risco

Boletim Focus volta a revisar IPCA para baixo; investidores aguardam dados da inflação americana

Painel de cotações da B3 (Germano Lüders/Exame)

Painel de cotações da B3 (Germano Lüders/Exame)

G
Guilherme Guilherme e Beatriz Quesada

12 de setembro de 2022, 17h33

O Ibovespa encerrou esta segunda-feira, 12, em alta, acompanhando a recuperação das bolsas internacionais, que avançam pelo quarto pregão consecutivo. 

O dólar caiu frente ao real, em linha com sua desvalorização no exterior contra moedas emergentes e desenvolvidas.

O bom humor tomou conta dos mercados mesmo com os bancos centrais de todo o mundo cada vez mais contracionistas. 

O motivo para o otimismo está nos dados da inflação americana que serão divulgados amanhã, 13. A expectativa para os números que medem a inflação ao consumidor nos Estados Unidos (CPI) é de queda na comparação anual.

O CPI para agosto tem estimativa de queda de 0,1%, mas os núcleos do indicador devem seguir pressionados. A expectativa aumenta, principalmente, porque a inflação de julho seguiu inalterada – sem novas altas, mas ainda no maior patamar em 40 anos

Caso a escalada de preços continue a dar sinais de arrefecimento, isso poderia indicar uma postura mais branda do Federal Reserve (Fed, banco central americano). Ou seja, os juros poderiam subir menos do que o esperado.

Com essa expectativa no radar, as bolsas americanas encerraram o pregão em alta, em seu quarto dia consecutivo de ganhos. 

  • Dow Jones (Nova York): + 0,71%
  • S&P 500 (Nova York): + 1,06%
  • Nasdaq (Nova York): + 1,27%

O maior otimismo para a dinâmica inflacionária também esteve presente no mercado brasileiro. O consenso para o IPCA deste ano foi revisado mais uma vez para baixo em boletim Focus desta segunda – a 11ª consecutiva. 

A projeção mediana dos economistas caiu de 6,61% para 6,40%. Em meados de junho, última vez que a estimativa se manteve estável, o consenso para o IPCA era de 8,27% para este ano.

O consenso para a taxa Selic, no entanto, se manteve em 13,75%, refletindo o fim do ciclo de alta de juros – a despeito das recentes declarações do presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, sinalizando uma possível nova alta em setembro.

Assine a EXAME e fique por dentro das principais notícias que afetam o seu bolso. Tudo por menos de R$ 0,37/dia

Destaques de ações

A melhora das perspectivas para a economia brasileira contribuiu, especialmente, para o desempenho das ações de empresas ligadas à atividade doméstica. Entre elas, estão as de grandes varejistas, que voltaram a ser destaque no pregão desta segunda.

Outro destaque de alta ficou com a Ecorodovias (ECOR3), que disparou mais de 7% no pregão desta segunda após nova recomendação do Bank of America (BofA). 

Analistas do banco reiniciaram a cobertura das ações da empresa com recomendação de compra e preço-alvo de R$ 11,10, representando um potencial de alta de 81,37% em relação à cotação do último fechamento. 

Fora do Ibovespa, as ações da Zamp (BKBR3), dona das operações das bandeiras Burger King e Popeyes no Brasil, saltaram mais de 7% na máxima do dia e fecharam em alta de 3,63% com investidores de olho na oferta pela empresa. 

Isso porque a Mubadala Capital elevou a oferta que fez para adquirir o controle da Zamp. Ainda assim, analistas temem que a oferta esteja abaixo do preço ideal, o que poderia inviabilizar o negócio.

Veja também