EcoRodovias (ECOR3): Bank of America retoma cobertura com recomendação de compra

Banco vê ações como "atraentes demais para serem ignoradas"; analistas recomendaram a venda de papéis da CCR
Imigrantes: rodovia sob concessão da EcoRodovias (OS2Warp/Wikimedia Commons)
Imigrantes: rodovia sob concessão da EcoRodovias (OS2Warp/Wikimedia Commons)
Guilherme Guilherme
Guilherme Guilherme

Publicado em 12/09/2022 às 14:11.

Última atualização em 12/09/2022 às 14:16.

Analistas do Bank of America reiniciaram a cobertura das ações da EcoRodovias (ECOR3) com recomendação de compra e preço-alvo de R$ 11,10, representando um potencial de alta de 81,37% em relação à cotação do último fechamento.

"O valuation da EcoRodovias parece atraente demais para ser ignorado", afirmaram os analistas do Bank of America, que projetaram taxa interna de retorno (TIR) nominal de 20%.

Parte do otimismo do banco deriva de novas concessões da EcoRodovias. Entre os últimos movimentos da empresa está a vitória no leilão pelo Sistema Rio Valadares, composto por 726,9 quilômetros de estradas entre o Rio de Janeiro a Governador Valadares, em Minas Gerais.

Para o Bank of America, as ações da EcoRodovias têm o "melhor risco-retorno" do setor, especialmente se comparado às ações CCR (CCRO3) para as quais os analistas passaram a recomendar venda.

A CCR, segundo os analistas, está com uma TIR nominal de 14% e balanço patrimonial com espaço limitado para novos projetos.

Sobe e desce na bolsa

Ações da EcoRodovias e CCR operam em direção distintas nesta segunda-feira, 12, com respectiva alta de 7% e queda de 1%, após as após as recomendações do Bank of America. No ano, as ações da CCR acumulam valorização de cerca de 25%, enquanto as da EcoRodovias têm cerca de 11% de queda no período.