Elon Musk ameaça desistir da compra do Twitter (TWTR34) por falta de informações

Em carta, Elon Musk acusou o Twitter de não atender sua solicitação de dados sobre o número de spam e contas falsas na plataforma
 (Win McNamee / Equipe/Getty Images)
(Win McNamee / Equipe/Getty Images)
Carlo Cauti
Carlo Cauti

Publicado em 06/06/2022 às 10:41.

Última atualização em 06/06/2022 às 14:21.

Elon Musk ameaçou nesta segunda-feira, 6, desistir da compra do Twitter (TWTR34) por causa da falta de informações fornecidas pela rede social.

Em carta, Elon Musk acusou o Twitter de não atender sua solicitação de dados sobre o número de spam e contas falsas na plataforma.

Musk escreveu que o Twitter se recusou a fornecer os dados necessários para possa ser feita uma avaliação do número de spam e contas falsas.

Em abril, o Conselho de Administração do Twitter tinha aceito a oferta de US$ 44 bilhões (cerca de R$ 220 bilhões) de Musk para comprar a empresa e fechar seu capital.

Em uma carta ao diretor jurídico do Twitter, Vijaya Gadde , o advogado de Musk, Mike Ringler, disse que o CEO da Tesla (TSLA34) tem direito de obter os dados solicitados, necessários para viabilizar o financiamento do negócio.

"De qualquer forma, Musk não é obrigado a explicar sua justificativa para solicitar os dados, nem se submeter às novas condições que a empresa tentou impor ao seu direito contratual aos dados solicitados", escreveu Ringler, na carta, “Neste momento, Musk acredita que o Twitter está se recusando de forma clara a cumprir suas obrigações sob o acordo de fusão”.

Segundo o advogado, essa seria uma clara violação das obrigações do Twitter sob o acordo de compra.

Por isso, Musk se reservaria o direito de não levar adiante a transação e rescindir a aquisição.

A compra do Twitter por parte de Elon Musk foi anunciada no dia 4 de abril de 2022.

O CEO da SpaceX e da Tesla é atualmente a pessoa mais rica do planeta, segundo a revista Forbes, com uma fortuna avaliada em US$ 230 bilhões.

Contas falsas demais no Twitter (TWTR34), segundo Musk

Nas últimas semanas Musk já avia ameaçado encerrar a transação de compra do Twitter por causa do excesso de contas falsas.

O homem mais rico do mundo queria garantias de que menos de 5% das contas na plataforma não fossem verídicas.

O CEO do Twitter, Parag Agrawal, já afirmou que a plataforma suspende todos os dias mais de meio milhão de contas que parecem falsas, geralmente antes mesmo de serem vistas, e bloqueia milhões por semana que não passam nas verificações para garantir que sejam controladas por humanos e não por um software.

Musk chegou a ser processado por um dos acionistas do Twitter por manipulação do mercado.

Na ação judicial apresentada no tribunal de São Francisco, o acionista alegaria que Elon Musk fez declarações e twittou frases destinadas a criar dúvidas sobre o negócio, provocando a queda das ações do Twitter, para tentar economizar na compra.

*Atualização: na tarde de segunda-feira, 6, um porta-voz do Twitter afirmou que a empresa vai continuar "a compartilhar de modo cooperativo informações com o sr. Musk, a fim de consumar a transação de acordo com os termos do acordo de compra". O porta-voz da empresa diz que o Twitter "pretende fechar a transação e fazer valer o acordo no preço e nos termos combinados". As informações são do Estadão Conteúdo.