Dólar afunda 4% após eleições e tem maior queda desde 2018

Mercado vê maior responsabilidade fiscal, após forte desempenho da direita na disputa pelo Congresso
Dólar (Sergio Moraes/Reuters)
Dólar (Sergio Moraes/Reuters)
Guilherme Guilherme
Guilherme Guilherme

Publicado em 03/10/2022 às 10:03.

Última atualização em 03/10/2022 às 18:57.

O dólar caiu 4,09%, a R$ 5,174 nesta segunda-feira, 3, no maior recuo desde junho de 2018 com investidores reagindo positivamente ao resultados das eleições do fim de semana. O real foi a moeda que mais se valorizou entre as principais divisas globais.

A maior surpresa da votação foi quanto à força dos candidatos de direita, que se mostrou maior do que o apontado por pesquisas de intenção de voto. Para Étore Sanchez, economista-chefe da Ativa, a composição do congresso, mais bolsonarista que o esperado, deve "pode trazer alguns aspectos fiscalmente positivos". 

O PL, partido do atual presidente Jair Bolsonaro, levou o maior número de cadeiras no Senado e Câmara dos Deputados.

"A força bolsonarista no congresso deverá conter o ímpeto expansionista do eventual executivo de esquerda, sendo vista como positiva dada a complexa situação fiscal corrente", afirmou Sanchez em nota.