Invest

37 termos usados no Mercado Financeiro

É fundamental que qualquer investidor iniciante aprenda sobre diversos termos que as pessoas do mercado financeiro usam

 (StockSnap/Pixabay/Reprodução)

(StockSnap/Pixabay/Reprodução)

Da Redação
Da Redação

Redação Exame

Publicado em 28 de fevereiro de 2023 às 11h54.

Termos usados no mercado financeiro podem ser difíceis de compreender, já que alguns termos são em inglês e muitos podem parecer confusos em um primeiro momento.

No entanto, é fundamental que qualquer investidor iniciante aprenda sobre diversos termos que as pessoas do mercado financeiro usam.

Veja abaixo os principais termos usados para quem investe ou trabalha na área:

11 Termos básicos de Finanças

Para começar, é importante saber alguns termos financeiros básicos para finanças e economia:

  1. Alavancagem: o uso de empréstimos ou outras formas de endividamento para amplificar o potencial de retorno de um investimento.
  2. Benchmark: também chamado de índice de Mercado, é uma medida estatística que reflete o desempenho geral de um mercado ou setor. Por exemplo: o índice Ibovespa para ações brasileiras.
  3. Diversificação: a técnica de investir em vários ativos diferentes para diminuir o risco.
  4. Dividendos: uma parte dos lucros de uma empresa que é distribuída aos acionistas. Muitas pessoas investem com foco em dividendos para ganhar renda passiva.
  5. Hedge: a técnica de se proteger contra perdas potenciais em outros investimentos.
  6. Liquidez: a capacidade de um ativo ser facilmente convertido em dinheiro sem afetar significativamente o seu valor. Por exemplo: imóveis são menos líquidos, mas ações de empresas possuem maior liquidez.
  7. Portfólio de Investimentos: é a coleção de ativos em que um indivíduo ou instituição investe. Um portfólio bem diversificado é uma estratégia importante para reduzir o risco e aumentar a rentabilidade potencial.
  8. Renda Fixa: investimentos cuja rentabilidade é garantida no momento do investimento, como títulos públicos e títulos de renda fixa emitidos por empresas.
  9. Renda Variável: investimentos cuja rentabilidade não é garantida, como ações, fundos imobiliários e opções.
  10. Spread: a diferença entre o preço de compra e o preço de venda de um ativo.
  11. Volatilidade: a medida da variação de preços de um ativo ao longo do tempo. Ativos com alta volatilidade são considerados mais arriscados.

12 Tipos de Investimentos

Existem muitos termos financeiros em inglês quando se fala em classe de ativos, por isso vale a pena aprender mais sobre o seu significado:

  1. Ação: título de propriedade emitido por uma empresa, dando ao detentor o direito a participar dos lucros e votar nas decisões da empresa. A pessoa ou entidade que possui uma ação possui uma parte da empresa.
  2. CRI (Certificado de Recebíveis Imobiliários) e CRA (Certificado de Recebíveis do Agronegócio): títulos emitidos por instituições financeiras, com o objetivo de captar recursos para financiar projetos imobiliários e agronegócios.
  3. Criptomoedas: são moedas digitais descentralizadas, como o Bitcoin, que usam tecnologia blockchain para permitir transferências seguras e rápidas sem a necessidade de intermediários.
  4. Debêntures: títulos de dívida emitidos por empresas, que conferem ao seu detentor o direito a receber juros e amortização do principal.
  5. ETF (Exchange Traded Fund): é um fundo de investimento de gestão passiva negociado em bolsa, composto por uma cesta de ativos, como ações, títulos e commodity. Existem ETFs brasileiros e americanos.
  6. Fundo de Investimento: um fundo com objetivo de investir em um conjunto de ativos, geralmente ações e títulos, gerenciado por uma equipe especializada. Há vários tipos de fundos de investimento com estratégias diferentes.
  7. Fundos Imobiliários: fundos de investimentos que investem em imóveis. Podem investir tanto em imóveis físicos quanto em ativos imobiliários, como recebíveis imobiliários.
  8. LCI (Letra de Crédito Imobiliário) e LCA (Letra de Crédito do Agronegócio): títulos de renda fixa emitidos por instituições financeiras, geralmente bancos, com o objetivo de captar recursos para financiar projetos imobiliários e agronegócios.
  9. Private Equity: é o investimento em empresas não cotadas em bolsa, geralmente com o objetivo de aumentar o valor das empresas através de mudanças estratégicas. Existem fundos de private equity especializados nessas operações.
  10. REITs (Real Estate Investment Trusts): são fundos de investimento imobiliário que permitem que os investidores invistam em imóveis sem ter que comprá-los diretamente.
  11. Títulos Públicos: títulos emitidos pelo governo, geralmente com o objetivo de financiar a dívida pública. Podem ser de curto e longo prazo, pré ou pós-fixados e pagar ou não juros semestrais.
  12. Venture Capital: é o investimento em empresas iniciantes com alto potencial de crescimento, geralmente em setores como tecnologia e inovação.

9 tipos de Investimento em Ações

Os termos do mercado financeiro relacionados a investimento em ações são muitos. Por isso, vale a pena aprender sobre:

  1. Análise Fundamentalista: a técnica de avaliar a saúde financeira de uma empresa para prever o desempenho futuro de suas ações.
  2. Análise Técnica: a técnica de avaliar o desempenho passado de um ativo para prever o desempenho futuro.
  3. Buy and Hold: é uma estratégia de investimento que consiste em comprar ativos e mantê-los por um longo período de tempo, independentemente das variações de curto prazo no mercado.
  4. Day Trade: é uma estratégia de negociação onde os investidores compram e vendem ativos no mesmo dia, com o objetivo de lucrar com as variações de curto prazo dos preços.
  5. IPO (Initial Public Offering): um IPO é uma oferta inicial de ações de uma empresa para o público, permitindo que os investidores comprem ações diretamente da empresa.
  6. Stock Picking: é a técnica de selecionar ações individuais para investimento com base em uma análise detalhada da empresa e do mercado.
  7. Stop Loss: é uma ordem colocada pelo investidor para vender automaticamente um ativo quando ele atinge um preço específico (abaixo do preço de compra), a fim de limitar as perdas potenciais.
  8. Swing Trade: é uma estratégia de negociação onde os investidores compram e vendem ativos com o objetivo de lucrar com as variações de curto prazo dos preços.
  9. Value Investing: o value investing é uma estratégia de investimento que enfatiza a compra de ações de empresas subvalorizadas com o objetivo de obter retornos a longo prazo.

5 termos sobre Contabilidade para Investidores

Veja abaixo os termos relacionados com a contabilidade de empresas na bolsa:

  1. Balanço Patrimonial: um relatório financeiro que mostra a posição financeira de uma empresa em um determinado momento.
  2. DRE: sigla para Demonstração do Resultado do Exercício, que é um relatório financeiro que apresenta a situação financeira e o desempenho econômico de uma empresa em um determinado período.
  3. EBITDA (Lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização): é uma medida da rentabilidade de uma empresa que exclui itens financeiros e contábeis, dando uma visão mais clara da sua performance operacional.
  4. Fluxo de caixa: movimento de entrada e saída de dinheiro de uma empresa, incluindo as entradas de receita e as saídas de despesas. 
  5. Market Cap (Capitalização de Mercado): é o valor total de uma empresa, calculado pela multiplicação do número de ações em circulação pelo preço atual das ações. Usa-se essa métrica como uma medida da dimensão e importância de uma empresa no mercado.

Ainda tem dúvida sobre alguns termos do mercado financeiro? Leia nossos outros artigos para saber mais:

O que é taxa Selic? 
O que é IPCA acumulado? 
O que é inflação e quais são suas consequências para a economia? 
O que é Copom?

Acompanhe tudo sobre:Guia de InvestimentosMercado financeiro

Mais de Invest

"É como a poção do Asterix": a opinião deste banco europeu sobre a queda de juros do BCE

Bolsas da Europa fecham em alta, observando corte de juros pelo BCE

Azul oferece compra de passagens usando saque-aniversário do FGTS

Dólar hesita de olho em BCE e Treasuries, mas alta de commodities puxa para baixo

Mais na Exame