Fundos de private equity: fundos que investem diretamente nas empresas

Os fundos de private equity são muito importantes na economia por atuarem diretamente nas empresas
 (Getty/Getty Images)
(Getty/Getty Images)
D
Da Redação

Publicado em 11/07/2022 às 19:00.

Última atualização em 19/09/2022 às 12:22.

Fundos de private equity investem diretamente na empresa e buscam melhorar a produtividade em suas companhias.

Além disso, os fundos de private equity são muito importantes na economia, pois são fundos de investimento que atuam diretamente nas empresas.

O que são fundos de private equity?

Fundos de private equity são tipos de fundos que realizam investimentos direto nas empresas em que desejam alocar capital. Esse investimento pode ocorrer tanto em empresas de capital aberto na bolsa de valores quanto em empresas que ainda não abriram o capital.

Ou seja: estes fundos buscam empresas e fazem investimentos diretamente, tanto em empresas abertas na bolsa de valores quanto em empresas que não fizeram IPO.

Além disso, a função dos fundos de private equity é também atuar mais diretamente no negócio em que investiu. 

Portanto, esses fundos fornecem capital intelectual e ajudam na gestão do negócio, no crescimento em escala e na melhora de produtividade da empresa. 

Isso é diferente, portanto, de um fundo que compra participações minoritárias em empresas somente para lucrar com a rentabilidade das ações.

Como esse tipo de fundo é cada vez mais popular, é fundamental entender o que são fundos de private equity e porque são tão importantes.

Como funcionam os fundos de private equity?

Em primeiro lugar, é importante saber que um fundo de private equity é composto de diversos profissionais do mercado financeiro que analisam boas oportunidades de investimentos.

Sendo assim, esses analistas procuram por oportunidades de investimento para crescer seu patrimônio ao longo do tempo. Quando esses profissionais observam, portanto, uma boa empresa para investir, começam as negociações para comprar parte do negócio.

Assim, tanto o fundo quanto os gestores da empresa que será comprada chegam a um valor justo pela compra de um percentual da companhia. Em geral, esse percentual é relevante para que o fundo possa atuar na gestão.

Ou seja: quando a empresa tem uma parte vendida ao fundo de private equity, profissionais do fundo passam a se encarregar de auxiliar no dia a dia do negócio, o que pode ajudar a fazê-lo crescer mais rapidamente.

Esse tipo de fundo é muito importante para investidores que desejam diversificar os seus ativos em outros negócios com potencial de crescimento.

Com o AutoInvest, o app do BTG simplifica sua experiência ao investir. Basta selecionar seu perfil de investidor e aplicar direto pelo app em um fundo diversificado e seguro. Abra agora a sua conta com taxa zero.

Quais as vantagens dos fundos de private equity?

Existem muitas vantagens dos fundos de private equity. Primeiramente, essa espécie de fundo investe em empresas em um estágio menos maduro do que aqueles fundos de investimento que alocam capital apenas em empresas com capital aberto.

Sendo assim, o potencial de rentabilidade é muito maior do que em ativos de renda variável mais conhecidos, como ações e FIIs, pois a estratégia desse fundo é mais arrojada. No entanto, é também mais arriscado e deve-se investir com cuidado.

Além disso, os fundos atuam diretamente na empresa, o que faz com que os donos das empresas compradas se beneficiem em seus negócios.

Por fim, essa é uma ótima forma de diversificar os investimentos. Muitos empresários, por exemplo, criam fundos desse tipo para continuar atuando no mundo corporativo e auxiliando novos negócios a crescer.

Qual é a diferença entre private equity, venture capital e seed money?

De fato, no mundo dos negócios os termos como seed capital, venture capital e private equity são muito comuns. Mas quais seriam as suas diferenças?

Em primeiro lugar, o seed money é um tipo de investimento feito geralmente na fase inicial de uma empresa. Muitas vezes essas empresas existem apenas como conceito ou estão bem no início de suas operações.

Em segundo lugar, o private equity é um segundo passo: esses fundos fazem investimentos em companhias já mais bem estabelecidas (ou que, pelo menos, estão se consolidando em seus respectivos mercados).

Por fim, o venture capital foca nas companhias que já estão em processo de crescimento (ou até mesmo que já tenham chegado a um patamar estável).

Cada tipo de investimento tem foco em diferentes perfis de investidores: o seed money, por exemplo, é algo muito arriscado. No entanto, pode gerar lucros muito relevantes.

Por outro lado, quanto maior a empresa, menor as chances de multiplicar tanto o próprio capital – mas os investimentos tendem a ser mais seguros.

Como investir em fundos de private equity?

De fato: esse tipo de fundo é mais restrito do que outros tipos de fundos de investimento, pois ele possui como público apenas os investidores qualificados.

Ou seja: para investir em fundos de private equity, o investidor deve ter pelo menos R$ 1 milhão em investimentos financeiros. Isso faz com que  a maioria da população não tenha acesso a esses investimentos.

Portanto, esse tipo de fundo é muito mais comum em estruturas mais robustas, como bancos, family offices, fundos de pensão e outros. O investidor pessoa física, em geral, não consegue ter acesso a esses fundos.

No entanto, quem for pessoa física e não tiver o patrimônio de R$ 1 milhão ainda pode investir em negócios com potencial de crescimento através de outros ativos de renda variável, como ações, fundos imobiliários, ETFs e outros.

Você ainda tem alguma questão sobre o funcionamento dos fundos de private equity? Confira outros conteúdos como esse em nosso Guia de Investimentos, como:

O que é taxa Selic?
O que é IPCA acumulado?
O que é IOF?

Veja Também

O que é alíquota e como ela é cobrada?
Guia
Há 23 horas • 6 min de leitura

O que é alíquota e como ela é cobrada?

Kim Kardashian lança empresa de private equity
Minhas Finanças
Há 3 semanas • 2 min de leitura

Kim Kardashian lança empresa de private equity