Future of Money

Investidores de criptomoedas deveriam estar em pânico, diz fundador de fundo

Executivo avalia que lançamento de ETFs de bitcoin mudou dinâmica do mercado cripto e reduziu liquidez para outros ativos

Criptomoedas alternativas ao bitcoin enfrentam cenário adverso (Reprodução/Reprodução)

Criptomoedas alternativas ao bitcoin enfrentam cenário adverso (Reprodução/Reprodução)

Da Redação
Da Redação

Redação Exame

Publicado em 17 de junho de 2024 às 15h11.

Quinn Thompson, fundador do fundo de investimentos Lekker Capital, afirmou na última quinta-feira, 13, que os investidores de criptomoedas deveriam estar em "pânico". O motivo é um cenário apontado pelo executivo como de baixa liquidez para o mercado cripto, o que tende a prejudicar criptomoedas alternativas ao bitcoin e ao ether.

Em uma publicação no X, antigo Twitter, Thompson comentou que vê um "sério risco de queda em cadeia" no ecossistema cripto, que tende a prejudicar principalmente as chamadas altcoins, criptomoedas alternativas e menores que o bitcoin. Na visão dele, "o mercado perdeu sua capacidade de se recuperar".

"Não há pânico no momento [entre os investidores]. Minha expectativa é que isso vai mudar", comentou o executivo. Ao explicar sua visão em entrevista ao site DL News, ele destacou que o mercado de criptomoedas passou por várias mudanças recentes, com destaque para o lançamento dos ETFs de bitcoin.

Thompson explicou que o lançamento dos ETFs nos Estados Unidos em janeiro deste ano levou a uma redução na liquidez de investimentos nas outras criptomoedas, que não contam com mecanismos de investimento tão simples quanto o bitcoin. Na prática, isso alterou a própria estrutura do mercado cripto, afirma.

Antes do lançamento dos ETFs, os ciclos de alta do bitcoin e do ether resultavam em um capital que acabava chegando até criptomoedas menores conforme os investidores ganhavam apetite ao risco, na chamada "alt season". Porém, a nova dinâmica dos ETFs tem dificuldade que esse movimento se repita.

"Ao contrário das ações, que têm uma oferta passiva constante de entradas em ETFs e recompras de títulos, as criptomoedas e, em particular, as altcoins, têm o oposto – um fluxo constante de pressão de venda", comentou Thompson na publicação.

O executivo acredita que "à medida que entramos em um período de verão [inverno no Brasil] de baixo volume, a combinação de desbloqueios significativos de tokens e pressão de venda de em fundos de capital de risco provavelmente será uma batalha difícil demais para a maioria dos tokens vencer".

Nesse sentido, o executivo espera que as criptomoedas alternativas tenham uma forte queda no curto prazo, inclusive com o fim de alguns projetos, como resultado de uma demanda enfraquecida por esses ativos.

Siga o Future of Money nas redes sociais: Instagram | Twitter | YouTube Telegram | TikTok

Acompanhe tudo sobre:CriptomoedasCriptoativos

Mais de Future of Money

Ingressos tokenizados: como funcionam e como podem combater golpes e pirataria no setor?

Kamala Harris pode ser 'muito mais receptiva' às criptomoedas que Biden, diz Mark Cuban

Presidente do Banco Central quer "superapp" de finanças integrado com inteligência artificial

Ferrari anuncia que vai aceitar pagamentos em criptomoedas na Europa

Mais na Exame