Future of Money

Presidente de El Salvador quer criar "Banco Bitcoin" para investidores

Nayib Bukele avalia criar instituição financeira focada na oferta de produtos de investimento ligados à criptomoeda e ao dólar

Nayib Bukele é o atual presidente de El Salvador (AFP/AFP Photo)

Nayib Bukele é o atual presidente de El Salvador (AFP/AFP Photo)

Da Redação
Da Redação

Redação Exame

Publicado em 17 de junho de 2024 às 17h44.

Última atualização em 17 de junho de 2024 às 18h15.

O presidente de El Salvador, Nayib Bukele, pretende criar um banco focado em investidores interessados em bitcoin e dólar. A informação foi revelada por oficiais do governo de Bukele, que citaram um projeto de lei recente enviado ao Congresso do país, que atualmente é controlado pelo partido do presidente, indicando que a medida tem alta probabilidade de aprovação.

Os primeiros detalhes sobre o projeto foram divulgados por Milena Mayorga, atual embaixadora de El Salvador nos Estados Unidos. Em uma publicação no X, antigo Twitter, ela explicou que o governo do país pretende criar o Banco de Investimentos Privados (BPI, na sigla em inglês).

O banco tem como objetivo ser um ambiente "onde os investidores podem diversificar suas opções de financiamento oferecendo bitcoin e dólar para potenciais investidores". De acordo com o governo, o banco "facilitaria a canalização eficiente de recursos financeiros para projetos empresariais e governamentais".

A ideia é que o banco seja criado com um capital social mínimo de US$ 50 milhões, com um mínimo de dois acionistas. A instituição poderá realizar operações em dólar e bitcoin, concedendo créditos e operações de colaterais em qualquer uma das moedas, que são de curso legal em El Salvador.

Em outra publicação no X, Max Keiser, que é um conselheiro de Bukele para temas ligados a criptomoedas, confirmou a intenção do governo do país de criar um "Banco do Bitcoin". O potencial, segundo ele, é que "bilhões de bitcoins inundem El Salvador, impulsionando o PIB do país".

El Salvador é considerado um dos países com maior abertura ao bitcoin no mundo. O país definiu a criptomoeda como uma moeda de curso legal em 2021, permitindo que o ativo seja usado em diferentes operações no dia a dia da população. Até o momento, porém, a adoção do ativo está aquém do esperado.

Ao mesmo tempo, o país tem conseguido atrair investimentos internacionais devido ao interesse na exposição aos bitcoins em posse de El Salvador. Entre os projetos, está a instalação de uma rede de mineradoras da criptomoeda no país, que aproveitam a energia geotérmica gerada por um vulcão.

Siga o Future of Money nas redes sociais: Instagram | Twitter | YouTube Telegram | TikTok

Acompanhe tudo sobre:El SalvadorBitcoinCriptomoedas

Mais de Future of Money

União Europeia vai apoiar projeto que usa blockchain para criar soluções de sustentabilidade

ETFs de Ethereum podem atrair US$ 10 bilhões e levar cripto à máxima histórica, diz analista

Show com Lauryn Hill e Mano Brown no Allianz Parque lança NFTs comemorativos

Governo da Alemanha conclui vendas de bitcoin e soma R$ 15 bilhões arrecadados

Mais na Exame