Future of Money

Bitcoin vai continuar caindo? Saiba como o cenário macro dos EUA impacta a criptomoeda

Especialista em criptoativos do BTG comenta cenário atual para o bitcoin e recomenda estratégia ideal para o momento de mercado

 (Reprodução/Reprodução)

(Reprodução/Reprodução)

Mariana Maria Silva
Mariana Maria Silva

Repórter do Future of Money

Publicado em 13 de junho de 2024 às 10h42.

Última atualização em 13 de junho de 2024 às 10h43.

Tudo sobreBitcoin
Saiba mais

Nesta quinta-feira, 13, o bitcoin apresenta correção de preço após a reunião do Comitê Federal do Mercado Aberto nos EUA (FOMC, na sigla em inglês). Depois de ter apresentado alta significativa no início da semana com dados animadores sobre a inflação nos EUA, a principal criptomoeda é negociada no vermelho.

No momento, o bitcoin é cotado a US$ 68.068, com queda de aproximadamente 1,5% nas últimas 24 horas, de acordo com dados do CoinMarketCap. Nos últimos sete dias, a maior criptomoeda do mundo em valor de mercado acumula queda de 4,2%.

A alta volatilidade do bitcoin ao longo da semana, em que o ativo despencou, disparou e agora enfrenta uma nova correção, pode ser explicada pelos impactos do cenário macroeconômico dos EUA na cotação da criptomoeda.

Para ativos de risco como o bitcoin, uma taxa de juros mais baixa o torna mais interessante para investidores. Pensando nisso, acumula-se a expectativa de que o Federal Reserve, banco central dos EUA, reduza a taxa de juros do país em setembro. No entanto, ainda há muita incerteza sobre isso.

Corte na taxa de juros: há esperança?

Na reunião do FOMC da última quarta-feira, 12, não teve uma mudança tão grande no discurso para visão de médio prazo em relação aos cortes na taxa de juros. É um comitê dividido entre um e dois cortes na taxa de juros, mas as falas do presidente do Fed Jerome Powell ainda não foram tão ‘dovish’ quanto o mercado esperava. Na minha visão o mercado até que reagiu exageradamente”, comentou Lucas Josa, especialista de criptoativos do BTG Pactual, no programa Morning Call Crypto, disponível na íntegra no YouTube.

yt thumbnail

“Temos um mercado bem lateralizado e não tem muita perspectiva de quando sairemos disso, principalmente até que tenhamos mais clareza no cenário macro”, disse ele.
“Obviamente, o bitcoin ainda tem espaço para cair e para subir, mas é provável que o bitcoin fique mais um tempinho entre US$ 72 e US$ 64 ou US$ 66 mil”, acrescentou.

“É um momento que pode ser aproveitado para rever e rebalancear os ativos que você tem na sua carteira e para aumentar as suas posições. Se você ver um movimento de correção mais forte e o mercado ficando mais pessimista, geralmente é uma boa oportunidade para fazer o DCA”, concluiu.

A estratégia chamada de DCA, sigla para o termo em inglês Dollar Cost Averaging, é uma estratégia que envolve aportes periódicos em determinada criptomoeda, a fim de criar um preço médio mais baixo. Ela já foi classificada por especialistas como “infalível”.

O JEITO FÁCIL E SEGURO DE INVESTIR EM CRYPTO. Na Mynt você negocia em poucos cliques e com a segurança de uma empresa BTG Pactual. Compre as maiores cryptos do mundo em minutos direto pelo app. Clique aqui para abrir sua conta gratuita.

Siga o Future of Money nas redes sociais: Instagram | Twitter | YouTube Telegram | Tik Tok  

Leia mais

Acompanhe tudo sobre:BitcoinCriptomoedasCriptoativosFinançasBTG Pactual

Mais de Future of Money

União Europeia vai apoiar projeto que usa blockchain para criar soluções de sustentabilidade

ETFs de Ethereum podem atrair US$ 10 bilhões e levar cripto à máxima histórica, diz analista

Show com Lauryn Hill e Mano Brown no Allianz Parque lança NFTs comemorativos

Governo da Alemanha conclui vendas de bitcoin e soma R$ 15 bilhões arrecadados

Mais na Exame