Future of Money
Acompanhe:

Binance anuncia limites para transações com criptomoedas usando dólar

Exchange atribuiu mudança à decisão do Signature Bank de não intermediar mais negociações abaixo de US$ 100 mil

Signature Bank decidiu reduzir sua atuação no mercado de criptomoedas (Getty/Getty Images)

Signature Bank decidiu reduzir sua atuação no mercado de criptomoedas (Getty/Getty Images)

D
Da Redação

23 de janeiro de 2023, 11h09

A Binance, maior corretora de criptomoedas do mercado, anunciou que vai precisar limitar as transações feitas pelos seus usuários em dólar, atribuindo a mudança a uma decisão do Signature Bank de não intermediar mais movimentações abaixo de US$ 100 mil a partir de 1º de fevereiro.

A exchange confirmou a mudança após uma notícia da Bloomberg. Segundo ela, o banco não vai mais apoiar as transações em nenhuma das corretoras que são suas clientes. Como consequência, "alguns usuários individuais" poderão ficar sem a opção de comprar ou vender ativos digitais diretamente em dólar, informou a Binance em um comunicado.

  • Sabia que você pode investir em Bitcoin, ether, Polkadot e muitas outras moedas digitais direto no app da Mynt? Comece com R$ 100 e com a segurança de uma empresa BTG Pactual. Clique aqui para abrir sua conta gratuitamente.

A corretora de criptomoedas destacou, porém, que essa opção tem pouca adesão na sua plataforma. Dados da Binance apontam que apenas 0,01% da média de usuários mensais utiliza o serviço que demanda a intermediação do Signature Bank. A empresa disse ainda que está buscando uma "solução alternativa".

Esses clientes ainda poderão negociar ativos digitais, mas precisarão usar outras opções da exchange, como cartões de crédito e débito ou outras moedas fiduciárias disponíveis na Binance. As movimentações em dólar envolviam um processamento no Swift, o sistema de transferências financeiras internacionais.

O responsável por processar essas transferências era o Signature Bank, que iniciou um movimento nas últimas semanas de redução de envolvimento com o mercado de criptomoedas após uma série de falências no setor, incluindo da corretora FTX em novembro.

O Signature já foi considerado um dos bancos mais amigáveis para o mundo cripto entre os maiores dos Estados Unidos. Em dezembro, ele anunciou que vai reduzir seus depósitos em criptomoedas de US$ 10 bilhões para US$ 8 bilhões. O objetivo é cortar os depósitos totais em cripto no banco de 23,5% para menos de 15%.

A FTX era uma das clientes do Signature, mas os depósitos representavam menos de 0,1% dos ativos totais do banco. Mesmo assim, as ações do Signature chegaram a cair quase 20% em novembro, quando as informações sobre a falência da corretora de criptomoedas surgiram.

Siga o Future of Money nas redes sociais: Instagram | Twitter | YouTube | Telegram | Tik Tok