• AALR3 R$ 20,17 -0.64
  • AAPL34 R$ 67,36 0.00
  • ABCB4 R$ 16,52 -0.78
  • ABEV3 R$ 14,04 -0.64
  • AERI3 R$ 3,57 -1.11
  • AESB3 R$ 10,84 2.07
  • AGRO3 R$ 31,18 0.23
  • ALPA4 R$ 21,29 2.21
  • ALSO3 R$ 19,00 -0.05
  • ALUP11 R$ 27,07 -0.88
  • AMAR3 R$ 2,54 5.83
  • AMBP3 R$ 31,09 2.61
  • AMER3 R$ 21,89 -4.33
  • AMZO34 R$ 65,28 2.37
  • ANIM3 R$ 5,47 2.05
  • ARZZ3 R$ 79,46 -0.43
  • ASAI3 R$ 15,72 -1.13
  • AZUL4 R$ 20,07 -3.00
  • B3SA3 R$ 11,91 -0.92
  • BBAS3 R$ 37,57 -0.61
  • AALR3 R$ 20,17 -0.64
  • AAPL34 R$ 67,36 0.00
  • ABCB4 R$ 16,52 -0.78
  • ABEV3 R$ 14,04 -0.64
  • AERI3 R$ 3,57 -1.11
  • AESB3 R$ 10,84 2.07
  • AGRO3 R$ 31,18 0.23
  • ALPA4 R$ 21,29 2.21
  • ALSO3 R$ 19,00 -0.05
  • ALUP11 R$ 27,07 -0.88
  • AMAR3 R$ 2,54 5.83
  • AMBP3 R$ 31,09 2.61
  • AMER3 R$ 21,89 -4.33
  • AMZO34 R$ 65,28 2.37
  • ANIM3 R$ 5,47 2.05
  • ARZZ3 R$ 79,46 -0.43
  • ASAI3 R$ 15,72 -1.13
  • AZUL4 R$ 20,07 -3.00
  • B3SA3 R$ 11,91 -0.92
  • BBAS3 R$ 37,57 -0.61
Abra sua conta no BTG

Exposição com múmia e mundo egípcio é aberta em São Paulo

Mostra no Centro Cultural Banco do Brasil traz 140 peças do Museu Egípcio de Turim, na Itália. Inscrições serão feitas pela internet para evitar filas
 (Divulgação/CCBB)
(Divulgação/CCBB)
Por Guilherme DearoPublicado em 19/02/2020 07:25 | Última atualização em 19/02/2020 11:14Tempo de Leitura: 2 min de leitura

São Paulo — Após passar com sucesso pelo Rio de Janeiro, onde atraiu impressionantes 1,4 milhão de pessoas, a mostra "Egito Antigo: Do Cotidiano à Eternidade" chega a São Paulo. A exposição, gratuita, abre ao público de 19 de fevereiro a 11 de maio no Centro Cultural Banco do Brasil, no centro da cidade.

O CCBB em São Paulo não conseguirá chegar perto do volume de público do Rio, já que seu espaço expositivo é muito menor que o do CCBB carioca. Assim, as visitas, que deverão ser agendadas pela internet para evitar filas, estarão limitadas a 8.500 pessoas por dia. A estimativa é receber 500.000 pessoas em quase três meses de exposição.

São 140 itens emprestados do Museu Egípcio de Turim, na Itália: 137 peças egípcias originais e três réplicas. São esculturas, caixões, shabtis (pequenas estatuetas que eram colocadas nas sepulturas) e, claro, a joia da coroa: uma múmia real.

A múmia é Tararo, uma mulher de 1,5 metro de altura que viveu em cerca de 700 a.C., portanto em um período muito recente da civilização egípcia. Ela não pertencia à realeza, mas tinha algum status social alto.

Outro destaque da mostra deve ser a estátua da deusa Sekmet, com cabeça de leoa, que mede dois metros de altura e foi esculpida por volta de 1390 a.C., e um volume em papiro do Livro dos Mortos, com 3.500 anos de idade. Há também uma reprodução em tamanho real da tumba da rainha Nefertari e uma réplica de seis metros de altura da Pirâmide de Gizé.

A mostra teve um orçamento total de 12,3 milhões de reais, dos quais 10,2 milhões vieram de captação via Lei Rouanet. O orçamento é dividido para as quatro paradas: Rio, São Paulo, Brasília e Belo Horizonte. A curadoria ficou por conta de Pieter Tjabbes, historiador de arte, e Paolo Marini, egiptólogo e curador do Museu Egípcio de Turim.

O museu italiano tem a terceira maior coleção egípcia do mundo, com cerca de 30.000 itens. Fica atrás do Museu do Cairo (120 mil itens) e do Museu do Louvre (67.500 itens). Cerca de 70% da coleção do museu provém de missões de escavação realizadas por Ernesto Schiaparelli e Giulio Farina durante o século 20.

Agendamentos para visitar a exposição precisam ser feitos em http://bit.ly/EgitoNoCCBBSP. A mostra ficará aberta todos os dias, menos às terças, até maio.