• AALR3 R$ 19,60 -1.01
  • AAPL34 R$ 74,36 1.72
  • ABCB4 R$ 16,43 1.36
  • ABEV3 R$ 14,53 0.35
  • AERI3 R$ 3,81 -1.04
  • AESB3 R$ 10,67 -1.11
  • AGRO3 R$ 32,37 2.76
  • ALPA4 R$ 21,90 -0.82
  • ALSO3 R$ 19,62 0.26
  • ALUP11 R$ 26,19 0.42
  • AMAR3 R$ 2,23 3.24
  • AMBP3 R$ 29,72 4.54
  • AMER3 R$ 23,04 1.63
  • AMZO34 R$ 72,52 3.90
  • ANIM3 R$ 5,38 7.60
  • ARZZ3 R$ 82,03 2.08
  • ASAI3 R$ 15,52 1.84
  • AZUL4 R$ 20,75 11.02
  • B3SA3 R$ 11,44 -3.87
  • BBAS3 R$ 35,10 -0.17
Abra sua conta no BTG

De E3 a SXSW: coronavírus cancela grandes eventos

Festivais de cinema, shows e convenções estão sendo prejudicados pelo surto de Covid-19; confira os principais cancelamentos
Covid-19: a disseminação do vírus está afetando a programação - e a economia - dos grandes eventos de entretenimento (Reprodução/E3)
Covid-19: a disseminação do vírus está afetando a programação - e a economia - dos grandes eventos de entretenimento (Reprodução/E3)
Por Maria Eduarda CuryPublicado em 11/03/2020 05:55 | Última atualização em 11/03/2020 18:36Tempo de Leitura: 9 min de leitura

São Paulo - Com o surto de coronavírus, que teve início em janeiro na China e acabou se espalhando para o resto do mundo, medidas estão sendo tomadas para evitar ainda mais a disseminação do vírus. A Itália, por exemplo, ordenou quarentena para mais de 16 milhões de pessoas - o país já registrou mais de 360 mortos pelo vírus. Além do isolamento e do fechamento de estabelecimentos públicos, a indústria do entretenimento também está sofrendo com a possível pandemia: festivais de música, estreias de filmes e convenções de diversas áreas estão sendo canceladas ou adiadas para reduzir a chance de contaminação.

A primeira onda de cancelamentos veio ainda em janeiro, quando a China barrou a estreia de filmes nacionais que já eram muito esperados, como a comédia "Lost in Russia". Com isso, o feriado do ano-novo chinês - que costuma ser economicamente favorável para a indústria cinematográfica chinesa - acabou sendo perdido, fechando o fim de semana com apenas 2 de milhões de dólares, enquanto analistas locais esperavam que o faturamento fosse, na verdade, em cerca de 1 bilhão de dólares; o fechamento de mais de 7 mil cinemas ao redor do país impediu que a indústria aumentasse sua receita.

Atrações culturais como o Museu Nacional da China e a Disneyland de Xangai também fecharam, e os dois estão entre os principais pontos de visita para turistas; no caso do parque, mais de 50% dos visitantes não são residentes de Xangai. Grandes estreias, como "Mulan" e "007 - Sem Tempo Para Morrer", também tiveram seu planejamento atrapalhado. O jornal Hollywood Reporter apontou, no começo do mês, que a indústria cinematográfica pode sofrer uma perda de 5 bilhões de dólares neste primeiro semestre.

Confira, abaixo, uma lista das principais estreias e eventos que foram prejudicados pelo Covid-19:

Estreia chinesa de "Mulan"

Enquanto os cinemas chineses estão fechados, o lançamento do novo filme da Disney é incerto - e a China é um dos mercados mais importantes para o sucesso da adaptação do conto da guerreira chinesa. Bob Iger, antigo presidente da Walt Disney Company, disse para a CNBC que é improvável que a estreia chinesa realmente aconteça no dia 4 de março.

O filme, que conta com grandes atores chineses - como Gong Li, Jet Li e Donnie Yen - antecipava uma boa recepção no país. Para os demais países, porém, a data de lançamento permanece a mesma: o longa chega aos cinemas no dia 26 de março, com um orçamento de 200 milhões de dólares e a expectativa de um retorno de 85 milhões de dólares - apenas nos Estados Unidos -  no primeiro fim de semana.

James Bond adiado

Já no caso do novo longa de James Bond, a MGM adiou a estreia global para o dia 25 de novembro deste ano. O filme, que estava programado para estreiar no dia de 4 abril, teve sua premiere na China cancelada - e, no começo de março, a estreia global também. Além de conseguir fugir de um possível fracasso de bilheteria, a MGM justificou a decisão dizendo que acredita que uma estreia no segundo semestre pode ser positiva para o filme, e esperam um aumento de cerca de 30 milhões de dólares no faturamento do longa.

BTS, grupo de K-pop, cancela diversos shows

Um dos maiores grupos masculinos de K-pop da Coreia do Sul, cancelou uma série de shows que iriam acontecer entre os dias 11 e 19 de abril no Estádio Olímpico de Seul. Cerca de 200 mil fãs haviam adquirido ingressos, e os membros da banda apelaram para um aviso via transmissão ao vivo: "A saúde está sempre em nossas mentes hoje em dia, e nossas mensagens de encarar o seu eu interior e se amar são finalmente possíveis apenas quando você está saudável, especialmente porque é muito arriscado fora desses dias. Espero que vocês se cuidem", disse Jimin, um dos cantores principais.

Outros grupos, como GOT7, WINNER, Sechs Kies e (G)I-DLE também cancelaram futuros shows. De acordo com o Vox, a bilheteria para shows de K-pop na Coreia do Sul reduziu cerca de 40% durante o mês de janeiro, se comparada com a bilheteria do mês pelos últimos anos.

Canneseries é adiado, enquanto MIPTV é cancelado

O MIPTV, uma das conferências mais importantes para o futuro do mercado de televisão e entretenimento, cancelado - e não tem uma nova data para acontecer. O Canneseries, evento voltado para a produção televisiva e que costuma acontecer em paralelo ao Festival de Cannes, foi adiado para o segundo semestre de 2020, e irá acontecer entre os dias 14 e 18 de outubro.

O Festival de Cannes, porém, ainda acontecerá no mês de maio - e os organizadores afirmam que as inscrições aumentaram cerca de 9% em comparação a 2019. Mesmo com 4 mortes confirmadas na França e mais de 100 escolas fechadas, os responsáveis pelo evento acreditam que a situação será controlada, e estão monitorando o progresso junto com o governo.

Levando em conta a importância do Festival para distribuidoras e produtoras do mundo todo - e o fato de que o evento não sofre interferências desde 1968, quando foi invadido por grevistas -, analistas apontam que o cancelamento é improvável. Porém, caso aconteça, significa que os festivais de fim de ano - que acontecem em Veneza, Telluride, Toronto e Nova York - teriam que reorganizar suas sessões para encaixar as centenas de filmes com estreias programadas para Cannes.

SXSW cancelado

O South by Southwest, festival de cinema anual que estava programado para acontecer entre os dias 13 e 22 de março em Austin, no Texas, foi cancelado. No início do mês, produtoras como Warner, Netflix e Apple, seguindo os passos da Amazon, removeram seus filmes e cancelaram a presença de atores na programação do festival.

Outras companhias, como Facebook, Twitter e TikTok, também se desligaram do evento. Com a saída de várias das maiores companhias, o festival perdeu grandes estreias e primeiras exibições - a Netflix, por exemplo, planejava exibir vez cinco filmes originais - e a organização optou pelo cancelamento do evento, que não recebeu uma nova data.

Coachella será em outubro

Um dos maiores festivais de música e arte do mundo, o Coachella Valley Music and Arts Festival, teve que ser remarcado devido ao surto de coronavírus. O evento, que tem a duração de 6 dias, estava programado para acontecer entre os dias 10-12 e 17-19 de abril. Agora, o festival irá acontecer entre os dias 9-11 e 16-18 de outubro, na cidade de Indio, na Califórnia. 

De acordo com a publicação nas redes sociais do evento, os ingressos adquiridos valerão para outubro, e os indivíduos que não puderem comparecer terão direito a reembolso. Os ingressos esgotaram em menos de três horas, e a previsão era de 125 mil pessoas por dia de evento. Por ordem do Condado de Riverside, onde está localizada a cidade de Indio, a organização adiou o evento. 

Salão do Automóvel 2020 é adiado

Muito esperado pelos fãs de automóveis, o Salão do Automóvel de 2020 também não acontecerá mais entre os dias 12 e 22 de novembro, como estava programado. Após montadoras como Chevrolet, Toyota, Hyundai e BMW anunciarem a saída da programação do evento, a associação das montadoras - Anfavea - informou que a exposição foi adiada para 2021, ainda sem data definida.

Mesmo com a desistência das principais marcas trem acontecido a partir de janeiro, a justificativa oficial foi que decidiram tentar aprimorar experiências individuais com clientes. Para o G1, o presidente da Anfavea, Luiz Carlos de Moraes, informou que o evento, que é bienal, costuma ter um faturamento de 320 milhões de reais, além de gerar cerca de 30 mil empregos.

Cancelamento do Mobile World Congress

A maior conferência de dispositivos móveis do mundo também teve que ser cancelada. O evento, que acontece todo ano em Barcelona, sofreu com as desistências de marcas como a sul-coreana LG, a chinesa ZTE e a sueca Ericsson, e a organização optou por não realizá-lo.

O MWC, que é organizado pela GMS Association, é responsável por movimentar cerca de 492 milhões de euros a cada edição, além de gerar empregos temporários para mais de 14 mil pessoas. John Hoffman, presidente da GSMA, comentou que a decisão de cancelar o evento surgiu com a intenção de ajudar a manter o ambiente de Barcelona saudável e seguro para seus residentes.

E3 é cancelada

A maior convenção de jogos eletrônicos do planeta, Electronic Entertainment Expo, é outro grande evento que sofreu com a disseminação do coronavírus pelo mundo. A E3, que iria acontecer entre os dias 9 e 11 de junho em Los Angeles, estava sendo muito antecipada, tanto pela indústria como pelos fãs de games, já que companhias como Sony - que não iria participar do evento - e Microsoft estão prestes a dar início a uma nova geração de consoles.

A Associação de Softwares de Entretenimento, ESA, disse em nota que optou pelo cancelamento para garantir a segurança do fãs, funcionários e parceiros. Phil Spencer, chefe de Xbox - série de consoles da Microsoft -, disse em seu Twitter que o anúncio da próxima geração será realizado por meio de um evento digital. Seguindo os passos da Nintendo, que irá realizar o anúncio de seus próximos jogos por meio da transmissão online chamada Nintendo Direct, é esperado que as desenvolvedoras de jogos Ubisoft e Square Enix também escolham essa alternativa.

Outros cancelamentos

Os eventos citados são apenas uma parte da enorme lista que teve sua programação adiada devido ao Covid-19. No mundo da música, o festival de Miami, Ultra Music Festival, também não irá mais acontecer - e não garante reembolso para quem adquiriu os ingressos. Artistas como Madonna, Pearl Jam, Mariah Carey e New Order cancelaram alguns de seus shows que iriam acontecer no primeiro semestre.

No cinema, além dos exemplos acima, as estreias de "Jojo Rabbit", "1917" e "Sonic: O Filme" foram adiadas na China. A produção do próximo "Missão Impossível", programado para estrear em 2021, foi adiada - parte do filme seria gravado em Veneza. Além disso, o Festival Internacional de Cinema de Pequim e o Festival Internacional de Cinema do Mar Vermelho, que acontece na Arábia Saudita, foram cancelados.

Já no teatro, a versão de "Cinderela" do compositor Andrew Lloyd Webber, que estava programada para estrear nos palcos durante o verão americano - em meados de julho -, irá estrear em outubro, em Londres. A rotina dos principais museus internacionais também foi afetada: o Museu do Louvre, por exemplo, na França, fechou por dois dias e agora restringe os acessos - apenas quem tiver adquirido ingressos pela internet ou tiver direito a entrada gratuita poderão entrar.

Ainda não existe uma previsão para quando o surto do coronavírus irá diminuir, mas especialistas acreditam que o mês de abril será o mês com o maior número de casos, e que a disseminação do vírus é capaz de durar até meados de agosto.