Seis curiosidades sobre o Ingenuity, primeiro helicóptero em Marte

Prestes a realizar seu primeiro voo oficial, o helicóptero com aspecto de drone da Nasa enfrentou desafios e até tirou uma selfie com seu rover em Marte

No dia 18 de fevereiro, a Nasa conseguiu pousar seu rover Perseverance ("perseverança", em português) em Marte, mais especificamente na cratera de Jezero, com o objetivo de buscar por sinais de vida no planeta vermelho.

A espaçonave, porém, não estava só: dentro de sua barriga, ela carregava o Ingenuity ("inventividade", em português), um helicóptero de 1,8 quilos cujo objetivo é, por enquanto, apenas demonstrar que é possível voar em Marte e recolher dados sobre o comportamento de uma nave em outro planeta.

No futuro, aeronaves como o Ingenuity podem "marcar o início de uma era completamente nova de exploração de Marte", de acordo com Bob Balaram, engenheiro chefe do projeto. Veja seis coisas que você deve saber sobre o helicóptero, antes dele realizar seu primeiro voos oficial:

1. Seu primeiro voo acontece nesta segunda-feira,12

Após mais de um mês em solo marciano, o Ingenuity finalmente está preparado para realizar seu primeiro voo teste. Ele eceberá um comando para decolar, subir até três metros de altura, ficar parado no ar por 30 segundos e pousar. Se tudo ocorrer bem, outros quatro voos de teste irão acontecer no próximo mês.

O voo em si irá ocorrer no domingo, dia 11, por conta do tempo que as informações demoram para chegar até a Terra, cerca de 15 minutos, e também porque a operação será totalmente autônoma. A equipe irá enviar comandos com bastante antecedência, mas o Ingenuity poderá tomar suas próprias decisões sobre como voar e se manter aquecido enquanto explora.

Nesta quinta-feira, 8, a equipe da Nasa testou as hélices do helicóptero a 50 RPM (rotações por minuto) para se preparar para o primeiro voo, quando suas hélices chegarão a 2.537 RPM.

A Nasa programou um evento online às 4:30 da manhã desta segunda-feira, 12, no horário de Brasília. Tudo será transmitido pelas redes sociais da agência, incluindo seu canal no YouTube e no Facebook. A expectativa é que fotos serão divulgadas e que os engenheiros irão detalhar algums dados sobre o voo, caso tudo vá bem. Não há confirmação de vídeo.

3. Seu nome foi escolhido por uma estudante do colegial

A estudante Vaneeza Rupani, do estado do Alabama nos Estados Unidos, primeiramente sugeriu o nome Ingenuity para o rover Perseverance, que foi escolhido por um aluno da sétima série no estado da Virgínia. Ambos participaram do concurso de redação "Name the Rover" da agência aeroespacial, que recebeu 28.000 inscrições de alunos norte-americanos.

Após a sugestão de Rupani, os funcionários da Nasa perceberam que Ingenuity, que significa inventividade, combinava mais com o pequeno helicóptero sendo construído do que com a aeronave em si.

"A engenhosidade e o brilho das pessoas que trabalham duro para superar os desafios das viagens interplanetárias são o que nos permite experimentar as maravilhas da exploração espacial", escreveu Rupani. "Inventividade é o que permite às pessoas realizar coisas incríveis."

4. Ele já tirou uma foto do planeta e até participou de uma selfie

Nesta última terça-feira, 6, o Ingenuity enviou seu primeiro registro de Marte: um registro em cores e alta definição do solo desértico do planeta próximo da área de onde alçará o seu primeiro voo.

Eis a fotografia enviada pelo primeiro drone a ir para Marte.

Eis a fotografia enviada pelo primeiro drone a ir para Marte. (Nasa/Ingenuity/Reprodução)

No mesmo dia, o rover Perseverance capturou uma selfie com o Ingenuity usando uma câmera chamada WATSON. 62 imagens individuais foram tiradas e costuradas para criar a foto final. O helicóptero pode ser visto um pouco atrás do rover.

Selfie do Perseverance com o Ingenuity Selfie do rover Perseverance com o helicóptero Ingenuity em solo marciano

Selfie do rover Perseverance com o helicóptero Ingenuity em solo marciano (Nasa/Reprodução)

5. Sua equipe não sabia se ele iria sobreviver

Apesar de ser apenas um teste, o Ingenuity teve que enfrentar diversos desafios para chegar até onde está agora. A atmosfera do planeta vermelho é fina, 99% menos densa do que a Terra, e o primeiro obstáculo enfrentado pelo helicóptero foi na hora de desenvolvê-lo: o Ingenuity tinha que ser leve e também ter pás de rotor muito maiores e mais rápidas do que uma na Terra.

O Perseverance também pousou na cratera de Jezero, bacia no planeta vermelho onde os cientistas acreditam que um antigo rio desaguou em um lago e depositou sedimentos. Eles consideram provável que o ambiente tenha preservado sinais de alguma vida que tenha habitado Marte até bilhões de anos atrás.

Porém, Jezero também é extremamente frio durante a noite, chegando a 90 °C negativos. O frio empurra o helicóptero e suas peças aos seus limites, e a equipe não tinha garantia que ele iria sobreviver o primeiro mês em Marte, antes de realizar qualquer teste, mesmo tendo realizado alguns experimentos antes. 

6. Caso tudo der certo, o Ingenuity pode transformar a exploração marciana

O Ingenuity é o primeiro helicóptero com aspecto de drone a tentar voar na atmosfera marciana. Caso tudo ocorra bem, sua tecnologia pode ser replicada em outros veículos robóticos para missões futuras.

Sua ferramenta de voo pode oferecer um ponto de vista exclusivo que os rovers não conseguem alcançar e pode ajudar a mapear algumas regiões de Marte, tanto para ajudar a equipe da Nasa quanto o Perseverance. As câmeras instaladas em seu corpo também podem capturar imagens de alta definição.

"A equipe do Ingenuity fez de tudo para testar o helicóptero na Terra e estamos ansiosos para voar nosso experimento no ambiente real de Marte", disse MiMi Aung, gerente de projeto do Ingenuity. "Estaremos aprendendo ao longo do caminho e será a recompensa final para nossa equipe ser capaz de adicionar outra dimensão à maneira como exploraremos outros mundos no futuro."

O que é a missão Perseverance da Nasa?

No dia 18 de fevereiro, o rover Perseverance ("perseverança", em português) pousou em solo marciano com o objetivo de buscar por sinais de vida no planeta vermelho.

O rover irá analisar a geologia e procurar pistas sobre como era o clima de Marte no passado, abrindo caminho para exploração humana. Ele também irá coletar rochas e sedimentos do local para serem analisados posteriormente na Terra, algo nunca antes feito no planeta.

A espaçonave, que viajou por volta de 468 milhões de quilômetros desde o seu lançamento no dia 30 de julho de 2020, pousou na cratera de Jezero, uma bacia no planeta vermelho, onde os cientistas acreditam que um antigo rio desaguou em um lago e depositou sedimentos. Eles consideram provável que o ambiente tenha preservado sinais de alguma vida que tenha habitado Marte até bilhões de anos atrás.

Desde sua chegada, o rover já divulgou vídeos da sua descida, o primeiro áudio de Marte e fotos inéditas.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 3,90/mês
  • R$ 9,90 após o terceiro mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 99,00/ano
  • R$ 99,00 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 8,25 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.