Versace exibe dominatrix punk em Milão

A Versace deu o tom com um guarda-roupa influenciado pelo mundo punk para mulheres que não têm medo de se impor em um cenário branco saturado de música pesada

	Desfile da Versace: com botas de salto alto pontiagudo, a grife apresentou roupas justas de vinil negro com grandes pinos de prata
 (AFP/ Gabriel Bouys)
Desfile da Versace: com botas de salto alto pontiagudo, a grife apresentou roupas justas de vinil negro com grandes pinos de prata (AFP/ Gabriel Bouys)
D
Da RedaçãoPublicado em 22/02/2013 às 21:28.

Milão - A mulher revelou nervos de aço nesta sexta-feira, no terceiro dia de desfiles das coleções de prêt-à-porter em Milão para o outono/inverno 2013-14, adotando aparências fortes, que não admitiram meias medidas.

A Versace deu o tom com um guarda-roupa influenciado pelo mundo punk para mulheres que não têm medo de se impor em um cenário branco saturado de música pesada.

Com botas de salto alto pontiagudo, a grife apresentou roupas justas de vinil negro com grandes pinos de prata que se assemelhavam a alfinetes. No pescoço, acessórios em forma de joias, colares com pontos longos em aço e anéis com pontas de ouriços.

As camisetas negras não estavam rasgadas, mas faziam parte do enxoval, assim como as grossas correntes penduradas nas laterais de calças justas.

Outro tema recorrente foi o tartan, tecido xadrez estampado emblemático deste movimento de contestação. Mesmo quando não foi usado colado à calça como faziam os punks, foi possível notar o tartan em toques e aplicações, como na parte traseira tipo kilt de saias em vinil.


Cores vivas animaram os vestidos de predominância escura, como um casaco vermelho intenso ou peles de vison com listras estilo zebra, em amarelo fluorescente.

"Proponho um luxo irreverente em que o vinil brilhante se mistura à seda, à casimira à pele", resumiu Donatella Versace.

Outra grife que emanou uma grande força foi a coleção de Etro, que se renovou radicalmente. Na passarela, mulheres como motociclistas com luvas de couro, calças "biker" e um grande casaco negro atravessado por uma língua de fogo.

A grife Moschino também exibiu nas passarelas mulheres de caráter forte, mostrando com orgulho suas origens escocesas. O tartan, com seus grandes quadrados vermelhos e negros, dominou a coleção de casacos curtos a ternos mini-kilt, passando por vestidos de três peças e até os longos vestidos para a noite.

Já a Blumarine, criada pela estilista Anna Molinari, apresentou a imagem de super-mulheres dos anos 1980 com ombros realçados nas pontas.