Série de livros recria clássicos com princesas empoderadas e heroínas

Para acabar com estereótipo negativo de que princesas são frágeis, a ONG criou a série de livros "A Revolução das Princesas"

São Paulo – De acordo com uma pesquisa realizada pela Plan International Brasil, a grande maioria das crianças acredita que príncipes sempre são heróis, enquanto princesas são frágeis e fracas. Para acabar com esse estereótipo negativo e promover a igualdade de gênero, a ONG criou a série de livros A Revolução das Princesas.

Escritoras e ilustradoras recriaram os contos de Ariel, Bela Adormecida, Rapunzel e Cinderela para empoderar meninas a serem as heroínas de suas próprias vidas.

Nas novas versões dos clássicos infantis, as princesas não são nada indefesas. São heroínas fortes e corajosas, montam em cavalos e lutam contra bruxas e dragões. Os papéis se invertem e agora são elas que salvam os príncipes do perigo.

Na próxima quinta-feira, 22, o público poderá adquirir os livros online, que terão a renda revertida para projetos da ONG.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 15,90/mês

  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 44,90/mês

  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa quinzenal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Atenção! A sua revista EXAME deixa de ser quinzenal a partir da próxima edição. Produziremos uma tiragem mensal. Clique aqui para saber mais detalhes.