A página inicial está de cara nova Experimentar close button

Latinos ou hispânicos protagonizam só 5% dos filmes nos EUA

Os hispânicos ou latinos saem perdendo quase inteiramente em todos os aspectos da produção cinematográfica. Em 2019, eles representaram apenas 5,9% de todos os personagens em 100 filmes de maior sucesso

Por Mary Biekert, da Bloomberg

A minoria mais ampla nos Estados Unidos é uma das menos representadas em Hollywood, revela um novo estudo dos 1.300 filmes de maior bilheteria em 13 anos, publicado na quarta-feira.

Os hispânicos ou latinos saem perdendo quase inteiramente em todos os aspectos da produção cinematográfica. Em 2019, eles representaram apenas 5,9% de todos os personagens em 100 filmes de maior sucesso. Atores hispânicos e latinos estiveram totalmente ausentes em mais de um terço dos filmes de melhor desempenho daquele ano, segundo a análise da Iniciativa de Inclusão da USC, Universidade do Sul da Califórnia. O grupo representa mais de 18% da população dos EUA, de acordo com o escritório do censo dos Estados Unidos.

Outras minorias nos EUA têm mais tempo na tela, descobriu o estudo. Em 2019, 15,7% de todos os personagens com papéis com fala nos 100 filmes de maior bilheteria eram negros e 7,2%, asiáticos.

Depois de reações como #OscarsSoWhite, Hollywood aos poucos melhorou a diversidade em projetos de alto perfil - um movimento que valeu a pena. Filmes com minorias e mulheres em papéis principais tiveram sucesso de bilheteria , em parte, por atrair públicos mais diversificados. Apenas neste mês, “Shang-Chi e a Lenda dos Dez Anéis”, o primeiro filme da Marvel com um ator asiático, quebrou os recordes do fim de semana do Dia do Trabalho.

Os hispânicos e latino-americanos formam a maior audiência per capita de cinemas entre todas as raças e etnias, de acordo com a Motion Picture Association of America. No entanto, eles nem sempre são retratados na tela e, quando o são, costumam ser considerados criminosos ou pobres. Quase 40% dos principais atores hispânicos ou latinos do estudo foram descritos como criminosos; 13,8% eram de classe baixa ou pobres.

“A representação na tela é importante para a nossa comunidade”, disse a atriz Eva Longoria, cuja produtora, UnbeliEVAble Entertainment, fez parceria com a Iniciativa de Inclusão da USC no estudo. “Ela molda não apenas como os outros nos veem, mas também como nos vemos.”

Diretores hispânicos e latinos dirigiram apenas 4,2% dos filmes principais, descobriu a USC. Um terço desses diretores era descendente de mexicanos, outro terço de ascendência espanhola.

  • Assine a EXAME e acesse as notícias mais importantes em tempo real.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 4,90/mês
  • R$ 14,90 a partir do segundo mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 129,90/ano
  • R$ 129,90 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 10,83 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Veja também