Casual

Jeep Compass chega por até R$ 99.990

Com bom preço e design atraente, ele é o primeiro Jeep feito para andar no asfalto

O novo SUV tem propulsor 2.0 a gasolina, gerando 156 cv de potência (Divulgação/Divulgação)

O novo SUV tem propulsor 2.0 a gasolina, gerando 156 cv de potência (Divulgação/Divulgação)

DR

Da Redação

Publicado em 1 de julho de 2012 às 11h36.

São Paulo - É impossível não pensar em jipe quando falamos da Jeep. Com uma imagem marcada por seus robustos veículos, a marca norte-americana conseguiu a proeza de virar sinônimo de categoria, como aconteceu com as lâminas de barbear Gillette e a esponja de palha de aço Bom Bril. Por isso, não deixa de ser surpreendente a Jeep ter deixado esta imagem de lado com o Compass.

Evidentemente, o Compass não nega o DNA da família Jeep, presente em detalhes como a tradicional grade com sete barras horizontais e as linhas retilíneas que evocam robustez. Fica claro que o Compass foi feito para a cidade, e se sai muito bem em seu "hábitat natural". Pena que a desenvoltura que o carro mostra no asfalto não se repete fora dele, já que ele é o primeiro Jeep vendido apenas com tração 4x2.

O preço competitivo é uma das grandes armas do Compass. Com preço sugerido de 99.990 reais, ele joga sua mira nas versões mais baratas da concorrência asiática, como Honda CR-V, Hyundai ix35, Kia Sportage e Mitsubishi ASX, além do mexicano Chevrolet Captiva. Por este valor, o Jeep traz itens como ar-condicionado, direção hidráulica, seis airbags, teto solar elétrico, controles de tração e estabilidade, Bluetooth, sistema multimídia com comandos de voz, freios com sistema anti-travamento (ABS) e piloto automático, entre outros equipamentos.

Apesar da boa relação custo/benefício, alguns detalhes entregam que o Compass foi feito para ser mais acessível. Os bancos de tecido tem aspecto simples e o painel usa plásticos de diferentes texturas, que podem não agradar a todos. O quadro de instrumentos também prima pela simplicidade, mas oferece boa leitura.

Por aqui, o Compass terá apenas um motor 2.0 de 16 válvulas, que entrega bons 156 cv. A transmissão escolhida pela Jeep é uma continuamente variável, que elimina as trocas de marcha e emite um som contínuo de rotação, causando certo desconforto para motorista e passageiros.

Colocando os prós e contras na balança, o Compass tem tudo para incomodar sul-coreanos, japoneses e mexicanos. Não dá para saber se o modelo será bem recebido, mas pelo menos a Jeep mostra que confia em seu produto, projetando vender duas mil unidades até o final de 2012.

Acompanhe tudo sobre:AutoindústriaCarrosJeepJeep CompassLançamentosSUVVeículos

Mais de Casual

Mansão de R$ 19 milhões em SC tem vista de tirar o fôlego; amplie fotos

Secretos, mas nem tanto: conheça bons bares estilo speakeasy em São Paulo

O que a Hering leva para o casamento com o Grupo Azzas 2154

Trem do Pampa: novo passeio no RS oferece paisagens deslumbrantes e degustação de vinho

Mais na Exame