Casual

Globo veta entrevista com Prior do BBB no Fantástico após acusações

Felipe Prior, popular participante do BBB20, é acusado por três mulheres de crimes sexuais

Felipe Prior, ex-participante do BBB20: três acusações de crimes sexuais contra ele (TV Globo/Reprodução)

Felipe Prior, ex-participante do BBB20: três acusações de crimes sexuais contra ele (TV Globo/Reprodução)

Guilherme Dearo

Guilherme Dearo

Publicado em 5 de abril de 2020 às 12h03.

Última atualização em 5 de abril de 2020 às 12h21.

O Fantástico, da TV Globo, iria trazer nesse domingo (5) uma entrevista já gravada com Felipe Prior, participante do Big Brother Brasil 20 que foi eliminado no último paredão, no dia 31. O programa, contudo, desistiu de exibir o conteúdo após uma reportagem da última sexta-feira (3) da revista Marie Claire revelar que Prior, arquiteto, enfrenta duas acusações de estupro e uma acusação de tentativa de estupro.

A reportagem traria o ex-BBB falando sobre sua experiência no confinamento. O paredão que o eliminou bateu recorde histórico de participação do público, em todas as edições. Foram 1,5 bilhão de votos.

"Não haverá mais a matéria no Fantástico que abordaria a votação histórica do BBB. A Globo é veementemente contra qualquer tipo de violência, como se percebe diariamente em seus programas jornalísticos e mesmo nas obras do entretenimento, e entende que cabe às autoridades a apuração rigorosa de denúncias como as que foram feitas contra Felipe Prior", disse a Globo.

Acusações

Há três acusações contra Prior, de três mulheres diferentes. A advogada Juliana de Almeida Valente representa as vítimas. Os casos teriam acontecido entre 2014 e 2018 e foram noticiados em primeira mão pela Marie Claire. Por medo, as vítimas não teriam denunciado os casos à época em que ocorreram, mas decidiram denunciar agora após verem Prior no BBB20.

Dois dos três casos teriam acontecido em edições do InterFAU, jogos universitários que ocorrem anualmente e reúnem alunos de faculdades de arquitetura e urbanismo, como a Universidade Presbiteriana Mackenzie (onde Prior se formou) e a Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo (FAU-USP). O terceiro caso teria acontecido em uma festa em São Paulo que antecede os jogos.

Duas mulheres acusam Prior de estupro. Um caso teria acontecido em São Paulo, quando a vítima pegou carona com Prior após uma festa. O outro caso de estupro teria acontecido em 2016, em Biritiba Mirim, durante o InterFAU, na barraca de camping de Prior.

O caso mais recente teria sido em 2018, onde a mulher acusa Prior de tentativa de estupro.

Os casos, agora, dependem do prosseguimento do Ministério Público, que pode optar por abrir investigação a partir das denúncias.

Em vídeo no Instagram, Prior disse ser inocente, negou o conteúdo das acusações e disse que irá se defender na justiça. "Estou muito chateado mesmo, muito chateado. Desconheço os fatos apresentados, nunca cometi nenhuma violência sexual contra ninguém. Sou inocente, sou inocente", ele disse.

A eliminação de Prior trouxe o mundo do futebol, do entretenimento e até da política para o BBB20. Neymar fez campanha a favor de Prior, enquanto Bruna Marquezine fazia campanha a favor de Manu Gavassi, adversária de Prior no paredão. Outros jogadores de futebol e celebridades entraram na "briga". Até Eduardo Bolsonaro, vendo a repercussão do caso, postou em seu Twitter mensagem a favor de Prior.

Acompanhe tudo sobre:abuso-sexualBBBGlobo

Mais de Casual

"A Era das revoluções", de Fareed Zakaria, explica raízes do mundo contemporâneo; leia trecho

Do campo à xícara: saiba o caminho que o café percorre até chegar a sua mesa

Com sustentabilidade e legado, sempre teremos Paris

3,5 mil quartos e R$ 100 milhões em reformas: os planos da Meliá para o Brasil

Mais na Exame