Ex-integrante da Marinha dos EUA compete na natação

Embora tenha marcado o melhor tempo nas classificatórias, Snyder ficou a 0s7 do terceiro colocado, mas mesmo sem o pódio ficou feliz com a quarta colocação

Londres - Exatamente um ano após perder a visão em um atentado à bomba no Afeganistão, o ex-integrante da Marinha dos Estados Unidos Bradley Snyder esteve perto de subir ao pódio nos Jogos Paralímpicos de Londres nos 100m borboleta (classe S11).

Embora tenha marcado o melhor tempo nas classificatórias, Snyder ficou a 0s7 do terceiro colocado, mas mesmo sem o pódio ficou feliz com a quarta colocação, levando em conta que ainda está se acostumando ao novo estilo de vida.

Snyder não imaginava, há um ano, que disputaria os Jogos Paralímpicos. Em 6 de setembro de 2011, Snyder servia a Marinha dos EUA quando foi vítima de uma bomba caseira enquanto tentava socorrer alguns companheiros que tinham sido feridos em outra explosão.

Além de tê-lo deixado cego, o atentado provocou graves ferimentos em seu rosto e estourou um de seus tímpanos. Por conta desses machucados, Snyder teve que permanecer durante três semanas recebendo cuidados específicos e outras cinco em recuperação na Flórida.

No entanto, as sequelas físicas, com exceção à cegueira, não eram graves, por isso que rapidamente começou na natação, esporte que já conhecia em sua época de Exército, onde era o capitão da equipe. Isso lhe permitiu recuperar a confiança em si mesmo enquanto se adaptava à nova vida.

Sua ascensão foi meteórica, e em junho de 2012 conquistou uma vaga para participar dos Jogos Paralímpicos de Londres, apenas nove meses depois do acidente.

''No Exército te ensinam muitas coisas que te preparam para o sucesso, te dão iniciativa, responsabilidade, dedicação e organização. Toda minha carreira militar foi baseada na ideia de superar qualquer meta que fosse imposta. A cegueira foi apenas um novo desafio a vencer'', afirmou o nadador.

A perda da visão foi um desafio que superou Snyder amplamente, pelo menos no terreno esportivo, depois de se sagrar campeão paralímpico na sexta-feira passada nos 100m estilo livre e ficar com a medalha de prata nos 50m estilo livre.

Na prova de hoje, o americano não conseguiu chegar ao pódio, mas tentará compensar em sua prova favorita, os 400m livres, que será disputada nesta sexta-feira.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.