Bilionário russo põe Chelsea à venda por R$ 27 bilhões, diz jornal

O suíço Hansjorg Wyss contou ter recebido uma proposta de adquirir o clube inglês por 4 bilhões de libras
 (Darren Walsh/Chelsea FC/Getty Images)
(Darren Walsh/Chelsea FC/Getty Images)
A
Agência O Globo

Publicado em 02/03/2022 às 13:48.

Última atualização em 02/03/2022 às 16:14.

O bilionário russo Roman Abramovich estaria interessado em vender o clube inglês Chelsea por 4 bilhões de libras (R$ 27,5 bilhões), conforme revelou o jornal britânico "Telegraph" nesta quarta-feira. O suíço Hansjorg Wyss contou ter recebido tal proposta. Pelo menos outros três potenciais compradores também teriam sido procurados. Intermediações estariam por parte de um banco com sede nos Estados Unidos.

O dono do Chelsea confirmou a decisão de vender o clube, por meio de nota:

"Gostaria de abordar a especulação na mídia nos últimos dias em relação à minha propriedade do Chelsea FC. Como já disse antes, sempre tomei decisões com o melhor interesse do Clube em mente. Na situação atual, tomei, portanto, a decisão de vender o Clube, pois acredito que seja do interesse do Clube, dos colaboradores, bem como dos patrocinadores e parceiros. A venda do Clube não será acelerada, mas seguirá o devido processo. Isso nunca foi sobre negócios ou dinheiro para mim, mas sobre pura paixão pelo jogo e pelo Chelsea.

Além disso, instruí minha equipe a criar uma fundação de caridade onde todos os lucros líquidos da venda serão doados. A fundação será para o benefício de todas as vítimas da guerra na Ucrânia. Isso inclui fornecer fundos essenciais para as necessidades urgentes e imediatas das vítimas, bem como apoiar o trabalho de recuperação de longo prazo. Por favor, saibam que esta foi uma decisão incrivelmente difícil de tomar, e me dói me separar do Clube dessa maneira. No entanto, acredito que isso seja do melhor interesse do clube. Espero poder visitar Stanford Bridge uma última vez para me despedir de todos vocês pessoalmente. Foi um privilégio de uma vida fazer parte do Chelsea FC e estou orgulhoso de todas as nossas conquistas conjuntas. O Chelsea Football Club e seus torcedores estarão sempre em meu coração. Obrigado, Roman"

Fontes ouvidas pelo "Telegraph" acreditam que a venda deverá ser firmada na casa dos 2 bilhões de libras (R$ 13,7 bilhões). No entanto, Abramovich já recusou ofertas com valores semelhantes a este. A dívida do clube com o russo é de 1,51 bilhão de libras (R$ 10,4 bilhões).

— Como todos os outros oligarcas, ele (Abramovich) também está em pânico. Abramovich está tentando vender todas as suas vilas na Inglaterra. Ele também quer se livrar do Chelsea rapidamente. Eu e mais três pessoas recebemos uma oferta na terça-feira para comprar o Chelsea de Abramovich — afirmou Wyss ao jornal suíço "Blick".

Empresário do ramo de dispositivos médicos e dono de uma fortuna avaliada em 5,1 bilhões de euros (cerca de 30 bilhões de reais), Wyss, de 86 anos, não descarta uma proposta conjunta para adquirir o clube. No melhor dos mundos para o negócio acontecer, Abramovich poderia até mesmo abrir mão de parte da dívida.

— Até hoje, não sabemos o preço de venda exato. Posso imaginar começar no Chelsea com parceiros. Mas eu tenho que examinar as condições gerais primeiro. Mas o que já posso dizer: definitivamente não estou fazendo algo assim sozinho. Se eu comprar o Chelsea, então com um consórcio composto por seis a sete investidores.

Alvo de possíveis sanções internacionais pelo envolvimento com o governo russo em meio à guerra com a Ucrânia, Abramovich tenta transferir o controle dos blues à fundação de caridade do clube, mas tem esbarrado em detalhes burocráticos e regulatórios. Com isso, a segunda opção, que vem ganhando mais força, é vendê-lo com urgência.