• AALR3 R$ 19,60 -1.01
  • AAPL34 R$ 74,36 1.72
  • ABCB4 R$ 16,43 1.36
  • ABEV3 R$ 14,53 0.35
  • AERI3 R$ 3,81 -1.04
  • AESB3 R$ 10,67 -1.11
  • AGRO3 R$ 32,37 2.76
  • ALPA4 R$ 21,90 -0.82
  • ALSO3 R$ 19,62 0.26
  • ALUP11 R$ 26,19 0.42
  • AMAR3 R$ 2,23 3.24
  • AMBP3 R$ 29,72 4.54
  • AMER3 R$ 23,04 1.63
  • AMZO34 R$ 72,52 3.90
  • ANIM3 R$ 5,38 7.60
  • ARZZ3 R$ 82,03 2.08
  • ASAI3 R$ 15,52 1.84
  • AZUL4 R$ 20,75 11.02
  • B3SA3 R$ 11,44 -3.87
  • BBAS3 R$ 35,10 -0.17
Abra sua conta no BTG

Chanel volta às passarelas de Paris, mas manterá formato virtual

O Palais Galliera, na capital francesa, serviu de palco para a apresentação da coleção outono-inverno 2021-2022
 (Reprodução/AFP)
(Reprodução/AFP)
Por AFPPublicado em 07/07/2021 09:00 | Última atualização em 06/07/2021 18:47Tempo de Leitura: 2 min de leitura

Com a atriz americana Margaret Qualley usando um vestido de noiva como o último "look" da alta costura, Chanel voltou às passarelas de Paris nesta terça-feira (6), mas sem abrir mão do filme da coleção dirigido por Sofia Coppola.

O Palais Galliera, na capital francesa, serviu de palco para a apresentação da coleção outono-inverno 2021-2022. O prédio, que abriga o Museu da Moda de Paris, exibe atualmente uma retrospectiva da obra de Gabrielle Chanel.

Os convidados tiveram a oportunidade de tentar pegar o buquê lançado por Margaret Qualley, que usava um vestido longo de linhas limpas e um véu. Deste modo, foi respeitada a tradição do vestido de noiva fechar os desfiles de alta costura.

A editora-chefe da revista Vogue nos Estados Unidos, Anna Wintour, ficou na primeira fila, mas para quem não pôde comparecer, a coleção também foi apresentada em vídeo, formato bastante utilizado pelas casas de moda durante a pandemia.

“Acho que teremos os dois, nunca abandonaremos a dupla transmissão. É um momento importante e vimos que isso interessou a muitos de nossos clientes ao redor do mundo”, disse à AFP Bruno Pavlovsky, presidente de atividades de moda da Chanel.

A diretora artística Virginie Viard "traz [...] sua visão da marca, muito atual e moderna", segundo Pavlovsky.

Em seus vestidos de inspiração impressionista, saias xadrez e vestido de cetim branco com nós pretos, Virginie Viard afirma que se baseou nas pinturas de Berthe Morisot, Marie Laurencin e Édouard Manet para desenhar a coleção.

Com tons inusitados de laranja, malva, verde e amarelo, a criadora rompeu com o habitual preto-branco-bege que caracteriza a Chanel.

“Gosto das cores no cinza do inverno [...] queria uma coleção especialmente colorida, bem bordada, algo aconchegante”, explicou em nota.

A trança banana que penteava a maioria das modelos e os tons escuros da maquiagem dos olhos deram um toque punk aos vestidos com babados e ternos de tweed, finalizados com salto. Para a noite, Chanel propõe camisolas e pijamas transparentes.