Casual

Ala leste do Palácio de Buckingham é aberta para visitas públicas

Ingressos esgotam em poucas horas; área histórica recebe turistas pela primeira vez em 175 anos.

Palácio de Buckingham receberá a visita de 6 mil pessoas durante o verão. (Jonathan Brady - PA Images/Getty Images)

Palácio de Buckingham receberá a visita de 6 mil pessoas durante o verão. (Jonathan Brady - PA Images/Getty Images)

Fernando Olivieri
Fernando Olivieri

Redator na Exame

Publicado em 11 de julho de 2024 às 13h34.

O Palácio de Buckingham, em Londres, abriu sua ala leste ao público pela primeira vez em 175 anos, oferecendo acesso à sala que leva à famosa varanda usada pela família real britânica em grandes eventos. Os ingressos, que custam aproximadamente R$ 520, esgotaram rapidamente. As informações são da CBS.

As novas áreas do palácio estarão abertas para visitação a partir de 15 de julho, graças ao impulso do Rei Charles III, que foi fundamental na decisão de aumentar a acessibilidade do palácio aos visitantes, conforme reportado pela mídia britânica.

Os ingressos, disponibilizados em abril, foram todos vendidos em poucas horas, permitindo que cerca de 6.000 pessoas visitem a ala leste este ano. Construída entre 1847 e 1849 para abrigar a numerosa família da rainha Vitória, essa área do palácio nunca havia sido acessível ao público até agora.

Durante a visita, os turistas poderão explorar o corredor principal, adornado com pinturas de Thomas Gainsborough, e a sala adjacente à varanda, com vista para o "Mall", um local tradicional de grandes reuniões públicas. Contudo, o acesso à varanda, utilizada pela família real desde 1851, permanecerá restrito.

Além do corredor e da sala contígua à varanda, os visitantes terão acesso a 19 salas utilizadas pela família real para eventos oficiais. Entre os destaques está o salão de baile, onde está exposto o primeiro retrato oficial de Charles III desde sua coroação, pintado por Jonathan Yeo.

Resgate do Palácio

As reformas na ala leste, que duraram mais de cinco anos e custaram cerca de R$ 2,56 bilhões, foram parte de um projeto abrangente de modernização dos serviços e comodidades do palácio, planejado para durar dez anos. Mais de 3.500 obras de arte e outros objetos foram removidos da ala leste no início das obras, em 2018, para facilitar as reformas.

A Royal Collection Trust, que supervisiona a preservação do patrimônio real, ainda não confirmou se novas datas de visitação serão disponibilizadas após o período de teste. A abertura da ala leste está alinhada com a visão do rei Charles III de tornar as residências reais mais acessíveis ao público, e a Trust ressaltou seu compromisso de ampliar o acesso à coleção real.

Essas mudanças refletem um esforço contínuo para conectar a monarquia ao público e garantir que mais pessoas possam apreciar a riqueza histórica e cultural do Palácio de Buckingham.

Acompanhe tudo sobre:LondresFamília real britânicaRei-Charles-III

Mais de Casual

Hering Kids e National Geographic lançam coleção inspirada na fauna brasileira

Ícone atemporal, Melissa desembarca em Paris com experiência sensorial

Os 16 melhores vinhos brasileiros avaliados em concurso internacional

Com patrocínio da LVMH, a Olimpíada de Paris vira vitrine para o grupo

Mais na Exame