Um conteúdo Bússola

Vendas em shoppings têm alta de 24% em maio e já ultrapassam pré-pandemia

Número de frequentadores nos empreendimentos cresceu 39,9% em comparação ao mesmo período de 2021
Fluxo maior nos shoppings se deve à imunização contra o coronavírus (Hao Yi/Beijing Youth Daily/VCG via/Getty Images)
Fluxo maior nos shoppings se deve à imunização contra o coronavírus (Hao Yi/Beijing Youth Daily/VCG via/Getty Images)
B
BússolaPublicado em 22/07/2022 às 14:00.

Por Bússola

As lojas dos shopping centers de todo o Brasil registraram um crescimento médio de 24% nas vendas no mês de maio, na comparação com o mesmo mês do ano passado, de acordo com dados do Índice Cielo de Varejo em Shopping Centers (ICVS-Abrasce). O 14º crescimento mensal consecutivo reforça o momento de recuperação no setor, iniciado no ano passado, e superou a receita nominal de vendas em 27,6% quando comparado ao mesmo intervalo de 2019.

Apenas nos cinco primeiros meses do ano, o comércio dos shoppings acumula uma alta de 39,7% em relação ao mesmo período de 2021. Do ponto de vista regional, as localidades que mais se destacaram no quinto mês de 2022, com crescimento das vendas acima da média nacional foram: Sudeste (26,6%) e  Nordeste (25,6%). Na região Centro-Oeste, a elevação ficou em 23,3%, no Sul foi de 17,2% e no Norte de 11,7%.

Mesmo com um cenário macroeconômico, caracterizado por inflação em alta e queda no rendimento das famílias brasileiras, o ticket médio de vendas nas lojas dos shoppings que ficou em R$ 125,45 em maio. O valor é 17,9% inferior ao do mesmo mês de 2021, mas é 35% superior aos R $92,92 registrados em maio de 2019, período pré-pandemia.

Fluxo - A alta no comércio dos shoppings coincide com uma franca recuperação no fluxo de visitantes do setor, reflexo de um número cada vez maior de brasileiros imunizados contra o coronavírus. Dados do Mais Fluxo e IPEC indicam que, em maio, foi registrado um acréscimo de 39,9% no total de frequentadores em comparação ao mesmo período de 2021.

Na avaliação do presidente da Associação Brasileira de Shopping Centers (Abrasce), Glauco Humai, os índices positivos são um termômetro importante que apontam para a continuidade do crescimento do setor em 2022 e uma progressiva recuperação quando comparado aos níveis pré-pandemia.

Ele destaca, ainda, a perspectiva cada vez mais sólida de bons resultados ao logo do segundo semestre do ano. “Os dados corroboram com nossas teses de que o aumento nas vendas nos shoppings será gradual e contínuo em 2022. As altas ocorrem à medida que o nível de visitantes cresce, pois, o setor oferece aos frequentadores um ambiente seguro, em todos os sentidos, e uma experiência que vai além do simples ato de comprar. Ficamos na torcida por uma melhora nos indicadores macroeconômicos para poderemos ter resultados ainda melhores", afirma.

Siga a Bússola nas redes: Instagram | Linkedin | Twitter | Facebook | Youtube

Veja também Bússola & Cia: Pagcorp cresce explorando nicho de mercado

Liquidez de sinal: o que é? Como usar? Por que é importante para o varejo

Falta de educação financeira aumenta desigualdade em era de instabilidade