Twitter mexe ponteiro da reputação

Pesquisa encomendada pela plataforma tenta captar a relevância cultural do microblog para as marcas

Por Rizzo Miranda

O Twitter fez uma pesquisa recente — com a Kantar Ibope Media — que traz bons insights para quem habitualmente olha para a plataforma como uma rede de perfil virulento, de “soco+pancada+dedonoolho”, cheia de bots, haters e, no geral, mais frugal e até “digestiva” que as demais. Saindo desse cenário o microblog procurou entender como seus usuários se relacionam com as marcas quando o tema é relevância cultural.

Esse tipo de pesquisa, até pelo recall que eu comentei acima sobre o Twitter, é bem próprio de uma marca que busca ampliar seu posicionamento e desfazer alguns outros que prejudicam seu modelo de negócios. Não sei se foi o caso do Twitter, mas achei bom que eles estejam olhando seu papel no ecossistema digital de relacionamentos por esse ângulo. Se vai reposicioná-los ou não, isso é outra coisa. Mas vai ajudar a tirar muito medo que as marcas ainda têm quando pensam em anunciar ali temendo a conhecida avalanche de ódio que abala com descontrole seu arco reputacional.

Mas, olhando para a pesquisa, é legal ver que eles abordaram o que é relevância cultural para seu público avaliando estas definições: “ditar tendência e ter impacto social relevante”,  “ser engajado na sociedade de forma que traga mais conhecimento a todos.”, “que acrescente algo de produtivo na sociedade” e “que sempre está atualizada em todos os assuntos.”

Podemos resumir: só vale ser tendência — e ser relevante cultural — se você, marca, está efetivamente gerando impacto na vida das pessoas. Esse enunciado foi, talvez, o mais “atualizado” com as cicatrizes que a pandemia vem deixando em nossa vida, misturando enormemente nossas dimensões pessoais, relacionais, profissionais e etc. etc.

A pesquisa identifica três gatilhos que influenciam o público do Twitter a comprar: preço e qualidade (47%), reputação da marca (27%) e relevância cultural (26%). O primeiro ponto é um clássico dos negócios e eu tendo, sinceramente, a juntar os dois últimos. Penso que no mundo de hoje a relevância cultural é inexoravelmente parte da reputação que queremos de nossas marcas prediletas.

E quem está à frente dessa conversa e bem posicionado? Os setores de beleza (85%), tecnologia (84%), comidas e bebidas (81%).

Bem, a pesquisa é do Twitter, para o Twitter e com o público do Twitter... mas como somos cross plataforma e consumimos informação em um ciclo complexo e integrado, são questões que podemos olhar e testar: conectar sua marca com relevância cultural é o novo bacana da reputação. O Twitter quer ser seu lugar para isso.  Vale testar.

Siga a Bússola nas redes: Instagram | LinkedinTwitter | Facebook | Youtube

Veja também

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 3,90/mês
  • R$ 9,90 após o terceiro mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 99,00/ano
  • R$ 99,00 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 8,25 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Veja também