Parlamentares bolsonaristas foram os mais influentes nas redes em 2020

Eduardo Bolsonaro lidera o ranking do FSBinfluênciaCongresso, que avaliou o desempenho de deputados e senadores nas redes sociais ao longo do ano passado

O deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) foi o parlamentar brasileiro mais influente nas redes sociais ao longo de 2020. É o que mostra o FSBinfluênciaCongresso, métrica exclusiva desenvolvida pelo Instituto FSB Pesquisa. O filho do presidente desbancou a companheira de partido e atual desafeto Joice Hasselmann (PSL-SP), que havia liderado o ranking em 2019 e perdeu influência após romper com o clã Bolsonaro, caindo no ano passado para a 9ª posição.

O PSL domina o topo do ranking, com quatro dos cinco parlamentares mais influentes nas redes. Além de Eduardo Bolsonaro, a lista tem em 2º lugar Carla Zambelli (PSL-SP), que ganhou uma posição de 2019 para 2020; André Janones (Avante-MG), que subiu da 21ª para a 3ª colocação; Bia Kicis (PSL-DF), que também saltou de 16ª para 4ª colocada; e Filipe Barros (PSL-PR), que também subiu de 12º para 5º lugar.

O senador mais influente nas redes ao longo do ano passado foi Humberto Costa (PT-PE), que no ranking geral do Congresso foi o 7º colocado, tendo conquistado oito posições na comparação com 2019. O sexto mais influente também é um parlamentar de oposição ao governo Bolsonaro: Marcelo Freixo (PSol-RJ), que em 2019 havia sido apenas o 13º colocado no FSBInfluênciaCongresso. A também oposicionista Jandira Feghali (PCdoB-RJ) subiu duas posições e ficou na 8ª colocação.

No top 20 em influência nas redes, estão 18 deputados federais e apenas dois senadores. Em 2019, eram cinco senadores. Agora, além do petista Humberto Costa, figura nesse seleto grupo apenas outro filho do presidente da República, o senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ), em 16º lugar — em 2019, Flávio havia sido o 6º mais influente.

Estreias

Seis nomes aparecem pela primeira vez no top 20 anual, sendo quatro deles parlamentares do estado do Rio de Janeiro: o terceiro colocado André Janones (em 2019 havia ficado em 21º lugar); Carlos Jordy (PSL-RJ), que subiu de 40º em 2019 para 12º no ano passado; Hélio Lopes (PSL-RJ), de 27º para 14º; José Medeiros (Podemos-MT), de 41º para 15º; Daniel Silveira (PSL-RJ), de 57º para 18º; e Otoni de Paula (PSC-RJ), de 61º para 19º.

Entre 2019 e 2020, o PSL ampliou sua presença no top 20, passando de seis para oito deputados. O PT saiu de três representantes em 2019 para apenas dois no ano passado. Em termos regionais, a mudança foi mais drástica. Dono da maior bancada no Congresso, o estado de São Paulo reduziu de sete para cinco parlamentares sua presença no top 20. Em contrapartida, o Rio de Janeiro ampliou de cinco para sete representantes entre os mais influentes. A bancada do Paraná emplacou quatro nomes, um a menos do que em 2019.

Veja abaixo o ranking dos 20 parlamentares mais influentes nas redes sociais:

 

CASA

NOME

PARTIDO

ESTADO

POSIÇÃO 2020

POSIÇÃO 2019

Câmara

EDUARDO BOLSONARO

PSL

SP

1

2

Câmara

CARLA ZAMBELLI

PSL

SP

2

3

Câmara

ANDRE JANONES

AVANTE

MG

3

21

Câmara

BIA KICIS

PSL

DF

4

16

Câmara

FILIPE BARROS

PSL

PR

5

12

Câmara

MARCELO FREIXO

PSOL

RJ

6

13

Senado

HUMBERTO COSTA

PT

PE

7

15

Câmara

JANDIRA FEGHALI

PCdoB

RJ

8

10

Câmara

JOICE HASSELMANN

PSL

SP

9

1

Câmara

GLEISI HOFFMANN

PT

PR

10

8

Câmara

KIM KATAGUIRI

DEM

SP

11

4

Câmara

CARLOS JORDY

PSL

RJ

12

40

Câmara

PR. MARCO FELICIANO

REPUBLICANOS

SP

13

6

Câmara

HELIO LOPES

PSL

RJ

14

27

Câmara

JOSE MEDEIROS

PODEMOS

MT

15

41

Senado

FLÁVIO BOLSONARO

REPUBLICANOS

RJ

16

9

Câmara

PAULO EDUARDO MARTINS

PSC

PR

17

14

Câmara

DANIEL SILVEIRA

PSL

RJ

18

57

Câmara

OTONI DE PAULA

PSC

RJ

19

61

Câmara

SARGENTO FAHUR

PSD

PR

20

5

 

 Partidos

O FSBinfluênciaCongresso não monitora as redes próprias dos partidos, mas avalia conjuntamente o desempenho agregado de cada bancada nas redes sociais. Em 2020, o PSL se manteve como a bancada mais influente nas redes, seguida pelo PT. Em terceiro, puxado pelo forte desempenho do deputado André Janones, aparece o Avante, que em 2019 era apenas o 16º partido mais influente nas redes.

A metodologia do FSBinfluênciaCongresso atribui uma nota que pode variar de 0 a 100 para cada parlamentar e também para cada legenda (no agregado dos parlamentares). No ano passado, a nota da bancada do PSL atingiu 93,1, leve queda em relação aos 95,2 pontos obtidos em 2019.

Mesmo piorando seu desempenho conjunto de um ano para o outro, quando a nota recuou de 43,7 para 32,7, o PT se manteve como o segundo partido que mais gera conversas digitais. Já o Avante melhorou muito o desempenho de sua bancada, com o indicador subindo de 7,4 para 23,5. Abaixo, o ranking dos partidos:

PARTIDO

NOTA

2020

POSIÇÃO

2020

NOTA 2019

POSIÇÃO 2019

PSL

93,1

1

95,2

1

PT

32,7

2

43,7

2

AVANTE

23,5

3

7,4

16

PSOL

18,7

4

25,9

4

REPUBLICANOS

15,8

5

8,1

14

PODEMOS

13,2

6

33,0

3

PSC

12,1

7

13,1

9

DEM

10,2

8

20,8

5

PSD

8,6

9

18,6

6

PCdoB

8,5

10

11,9

10

PDT

6,2

11

10,3

11

PL

6,1

12

14,7

7

PP

5,5

13

9,3

12

CIDADANIA

5,1

14

8,2

13

PSB

4,9

15

7,7

15

MDB

4,6

16

6,8

17

PSDB

4,1

17

14,3

8

NOVO

4,0

18

6,4

18

PATRIOTA

3,5

19

2,8

22

PV

2,6

20

3,8

20

REDE

2,3

21

5,0

19

PROS

1,8

22

3,7

21

SOLIDARIEDADE

0,9

23

1,5

23

PTB

0,6

24

0,9

24

                       

Estados

Por Unidade da Federação, juntos, os parlamentares de São Paulo (a maior bancada, em termos numéricos) foram os que mais influenciaram nas redes sociais ao longo de 2020. A bancada do Rio de Janeiro, que até emplacou mais nomes que São Paulo no Top20, ficou em segundo, seguida da bancada do Paraná.

 

UF

POSIÇÃO

2020

POSIÇÃO 2019

SP

1

1

RJ

2

2

PR

3

3

MG

4

6

DF

5

5

PE

6

7

RS

7

4

MT

8

13

GO

9

9

CE

10

8

ES

11

10

SC

12

15

BA

13

11

PA

14

17

SE

15

21

RN

16

18

AP

17

12

MA

18

19

AM

19

14

AL

20

20

MS

21

16

RO

22

27

PI

23

23

AC

24

26

RR

25

25

PB

26

22

TO

27

24

 

Números do ano:

– Seguidores

Juntos, os deputados e senadores que postaram ao menos um conteúdo nas redes sociais ao longo de 2020 tinham em 31 de dezembro 158,36 milhões de seguidores. Na comparação com o mesmo dia de 2019, quando eram 133,46 milhões, houve um incremento de 19%. Ao longo de 2020, os parlamentares conquistaram 24,89 milhões de novos seguidores, média de 68,2 mil por dia.

A maioria desses seguidores ainda se concentra no Facebook (51,4%), contra 29,7% no Instagram e 18,8% no Twitter. Mas, proporcionalmente, a rede onde os congressistas mais ganharam seguidores foi o Twitter, com crescimento de 40,1%, contra alta de 36,6% no Instagram e apenas 4,8% no Facebook. Já em números absolutos, a rede cresceu mais no Instagram (+ 12,6 milhões de seguidores), seguido do Twitter (+8,5 milhões) e do Facebook (+3,7 milhões).

– Postagens

Entre 1º de fevereiro e 31 de dezembro de 2020, os parlamentares publicaram 1,01 milhão de conteúdos nas três redes sociais. Houve crescimento de 13% sobre o total publicado no mesmo período de 2019 (895 mil). Significa dizer que, a cada hora, os congressistas publicaram116 conteúdos nas mídias digitais.

O Facebook continuou sendo a rede mais utilizada, com 43,4% de tudo o que foi publicado por deputados federais e senadores (estável em relação ao Market share de 43% em 2019). Twitter (28,4%) e Instagram (28,2%) tiveram volume praticamente igual de conteúdos publicados. Em 2019, o Twitter (31,2%) havia sido mais utilizado do que o Instagram (25,8%).

– Interações

Todos os conteúdos publicados por deputados e senadores nas redes sociais registraram 2,2 bilhões de interações, média de 6 milhões de interações por dia, ou 4,2 mil por minuto. Entre 2019 e o ano passado, o volume de interações (curtidas, comentários e compartilhamentos) registrado nas redes dos parlamentares cresceu incríveis 75% (eram 1,26 bilhão em 2019).

O maior crescimento no total de interações se deu no Facebook, que saltou 146%, ao subir de 532,9 milhões em 2019 para 1,311 bilhão no ano passado. No Twitter, a alta foi menos expressiva, de 28% (subindo de 230,9 milhões para 295,7 milhões). O crescimento no Instagram foi mais tímido, de 20% (crescendo de 500,9 milhões para 599,8 milhões entre um ano e outro.

Metodologia

O FSBinfluênciaCongresso monitorou as publicações dos deputados federais e senadores de 1º de fevereiro a 31 de dezembro de 2020, sempre em comparação ao mesmo período de 2019. O monitoramento é 24×7, capturando e analisando o grau de engajamento de todas as publicações feitas pelos parlamentares no Facebook (apenas páginas públicas), no Instagram (apenas contas business) e no Twitter.

Para se calcular a nota de cada parlamentar e construir o ranking, são levados em consideração o número de seguidores, a quantidade de publicações, o alcance das publicações e o engajamento (curtidas, comentários e compartilhamentos) em cada rede social. São aplicados pesos diferentes a cada item, assim como para cada uma das três redes sociais analisadas.

 

Assine os Boletins da Bússola

Siga Bússola nas redes:  InstagramLinkedin  | Twitter  |   Facebook   |  Youtube 

 

Mais da Bússola:

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 15,90/mês

  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 44,90/mês

  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa quinzenal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

ATENÇÃO: Mudança na sua assinatura da revista EXAME. A sua revista EXAME deixa de ser quinzenal a partir da próxima edição. Produziremos apenas uma edição por mês. Saiba mais