Um conteúdo Bússola

Bússola Trends: Bê-a- bá de uma estratégia de marketing

Conheça estrutura que você precisa para não cair em falsas promessas
Falsas promessas são diariamente disseminadas na internet (Oleg Blokhin/Getty Images)
Falsas promessas são diariamente disseminadas na internet (Oleg Blokhin/Getty Images)
A
Alexandre Loures e Flávio Castro*Publicado em 31/08/2022 às 18:30.

Em 1900, a empresa de chocolate alemã Theodore Hildebrand & Son criou uma campanha que retratava – em cartões coloridos distribuídos em caixas de doces – uma previsão criativa de como viria a ser a vida no ano 2000.

Um dos cartões reproduzia um evento acontecendo em um lugar e, ao mesmo tempo, sendo acompanhado por outras pessoas em outro.

Acertaram na mosca ao antever o YouTube ou qualquer canal de streaming.

Carros voadores e trens-barcos também viraram cartões, mas nada disso aconteceu até agora em 2022, embora faltem poucos meses para terminar o ano – não custa sonhar.

Apesar de estarmos nesse futuro onde a tecnologia avançou muito, o marketing tem de, por essência, compreender o mundo que vivemos, decodificá-lo, aproveitar as ferramentas vigentes e falar com um público que deve ser conhecido e estudado.

O alcance e complexidade aumentou, mas a importância que há na simplicidade da construção de uma estratégia que visa atingir um público determinado, não.

O bê-a-bá de um planejamento de marketing deve ser estudado e compreendido, como uma cartilha que estudamos e não esquecemos mais.

Falsas promessas são diariamente disseminadas na internet. Métodos de alcance de pessoas e vendas mirabolantes não faltam.

O que devemos entender é que se não houver uma estrutura a ser respeitada e destrinchada, qualquer alicerce despencará.

Esse bê-a-bá é menos sobre receitas de bolo para seguir e entregar uma estratégia assertiva, e mais sobre definir um ponto de partida que não nos direcione para o caminho errado.

Uma empresa deve saber para quem está vendendo seu produto ou serviço. Chamamos isso de persona.

É possível descobrir mais de uma persona para a mesma oferta, mas isso não muda a premissa de que é fundamental saber quem é o cliente que se quer atingir, como é o seu comportamento, por que ele procura seu produto ou serviço, o que ele precisa ao entrar em contato com a sua marca e se ele pode investir no que você está oferecendo.

Essa clareza é determinante para qualquer negócio.

Para isso é necessário obter informações precisas sobre leads e clientes.

Se antes era necessário encontrá-los ao vivo para conhecê-los, hoje, apesar de sabermos sobre a importância desse encontro, temos dados que nos dão inúmeras informações.

Cruzar esses dados, qualificá-los e identificá-los, é definir “A”, ou “As Personas”, fator primordial para desenvolver táticas e fórmulas para atingi-las.

O segundo passo é empreender em assimilar de que maneira essa persona enxerga o seu negócio. A visão do cliente nem sempre é a mesma que você acredita estar comunicando.

Alinhar essas informações traz credibilidade e fidelidade.

Sabe aquele cliente que volta a comprar? Muito provavelmente vocês estão alinhados com expectativas e perspectivas.

O ponto de vista de ambos está equiparado.

Um ponto importante nessa terceira fase é saber onde seus clientes estão, a fim de construir relacionamentos.

A comunicação de uma marca tem que levar em conta onde seu público está, até para educá-lo para onde você o quer levar.

Quais redes sociais são mais utilizadas pelos seus clientes?

Cada marca tem seus predicativos. Nem sempre o que funciona para uma, faz sentido para outra.

Concorrentes devem estar em um mesmo lugar?

Muito provavelmente, mas entender as próprias peculiaridades fará com que a empresa se diferencie.

Mídias não só podem como devem ser testadas, porém se esses primeiros passos forem muito bem trabalhados, a consequência é um acerto na escolha dos locais de distribuição de conteúdo.

Atenção é uma das moedas mais preciosas que toda a empresa terá.

Capturar a atenção de clientes significa ter um pouco de seu tempo, outra moeda preciosa.

Portanto, assim que detectados os locais de ação, se tornar presente na vida dessas pessoas é atingir um patamar mais alto e criar relações de troca.

Criatividade, junto com um aprendizado profundo sobre quem se quer atingir, faz uma grande diferença.

Depois de muita pesquisa, é nesse momento que se pode elaborar campanhas e jornadas baseadas em tudo que foi estudado.

A diferença entre você e seu concorrente deve estar muito clara e acertos podem ser planejados, rotas redefinidas e um investimento em uma criação de diferenciais pode ser traçado.

Uma vez criado um relacionamento com seu cliente, a troca de informações, disponibilidade de atendimento e escuta, é essencial para que ele se torne um advogado de sua marca; aquela pessoa que indica seu produto ou serviço, seja nas redes sociais, pelo boca-a-boca ou em outros canais.

Essas pessoas contribuem ativamente para a reputação de uma empresa.

Essa publicidade orgânica atrai novos clientes e os retém.

Isso significa, para além de ganhos, mais métricas e relacionamentos mais profundos e duradouros.

Dá para entender o por quê que todas essas dicas são atemporais?

Mesmo que adaptadas para o mundo contemporâneo, elas significam que as marcas têm de, antes de tudo, saber o que elas representam, para que, como e para quem.

Essas perguntas devem sempre servir como cartilha para ajustes a fim de atender clientes da melhor maneira possível e, junto a isso, inovar.

Só é possível inovar quando se está seguro de quem é, onde está, como está, para que está e para quem está.

Parece fácil, né?

Mas nem sempre o bê-a-bá é levado em conta.

Estratégia sem estudo básico não dura muito tempo.

Leia mais:

As estratégias de marketing e SEO que alavancam as vendas online

Se você quer que seus clientes realmente valorizem você, você precisa ser o consultor confiável deles

Marketing de Reputação: o que é e como aproveitar os benefícios

A comunicação de negócios é uma conversa: não seja chato

*Alexandre Loures e Flávio Castro são sócios do Grupo FSB

Este é um conteúdo da Bússola, parceria entre a FSB Comunicação e a Exame. O texto não reflete necessariamente a opinião da Exame.

Siga a Bússola nas redes: Instagram | Linkedin | Twitter | Facebook | Youtube

Veja também

Carla Madeira: Tudo É Rio e tudo é sucesso Bússola Trends: redes sociais estão cada vez menos sociais Lello e Arquiteto de Bolso oferecem design de interiores com custo acessível