A Argentina e o coronavírus

Coluna de Alon Feuerwerker analisa a evolução da covid-19 no país vizinho, onde o lockdown rigoroso não impediu a explosão de casos

A Argentina decidiu reabrir (bem) seletivamente as fronteiras para o turismo dos brasileiros e demais vizinhos. Mas as medidas ainda são bastante restritivas. De todo modo, já é um alento para quem, com razão, gosta de passear pelas terras portenhas. Sim, a coisa ainda está restrita a Buenos Aires.

A Argentina é um dos mistérios em busca de explicação nesta pandemia (veja o gráfico abaixo do Financial Times). Um lockdown rigorosíssimo não impediu a escalada constante de mortes, e a média móvel de sete dias contada proporcionalmente à população já deixou a tragédia brasileira na poeira.

 (FT/Reprodução)

Por que o lockdown argentino só conseguiu mal e mal retardar a ascensão da curva? Foi mal feito? Vai ver que sim, pois lockdowns costumam funcionar. Outra curva no gráfico abaixo mostra a evolução do quadro na União Europeia. Os lockdowns jogaram a curva no chão.

Agora, depois da reabertura, ela volta a crescer. E o remédio é fechar de novo. Mas parece que o povo por ali não está muito feliz em ter de voltar a ficar trancado em casa.

*Analista político da FSB Comunicação

Mais da Bússola:

Coronavírus mata cada vez menos no Brasil, mas há sinais de alerta

Imunidade paulistana

E depois os políticos reclamam

Siga Bússola nas redes:  InstagramLinkedin  | Twitter  |   Facebook   |  Youtube 

Espera! Tem um presente especial para você.

Uma oferta exclusiva válida apenas nesta Black Friday.

Libere o acesso completo agora mesmo com desconto:

exame digital

R$ 15,90/mês

R$ 6,36/mês

  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 44,90/mês

R$ 40,41/mês

  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa quinzenal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Apoie a Exame, por favor desabilite seu Adblock.