Vacinação gratuita pelo SUS termina nesta sexta e só atingiu 45% da meta

A baixa procura pela vacina contra a poliomielite preocupa autoridades de saúde. A não imunização pode fazer com que a doença volte

A Campanha Nacional de Vacinação contra a poliomielite termina nesta sexta-feira, 30, com um dado que preocupa autoridades sanitárias: apenas 45% do total de crianças entre 1 e 5 anos  foram vacinadas. A mobilização nacional, feita pelo Sistema Único de Saúde (SUS), começou no dia 5 de outubro e a meta era imunizar 11,2 milhões de crianças.

De acordo com dados do Ministério da Saúde, divulgados na quinta-feira, 29, a maior cobertura foi registrada entre as crianças com dois anos de idade (45%), enquanto a menor foi registrada entre as crianças de 3 anos de idade (43%). 

Entre os estados, o Amapá teve o maior índice de vacinação contra a poliomielite no país (76,4%), seguido de Pernambuco (64%) e da Paraíba (61%). A menor cobertura registrada foi do estado de Rondônia (17,3%). 

Somente 646 municípios atingiram a meta de vacinar pelo menos 95% das crianças. O Ministério da Saúde ressalta que os municípios têm até o fim de novembro para registrar as doses aplicadas no sistema da pasta. 

Em um momento em que há o debate sobre a obrigatoriedade da vacinação contra a covid-19, os dados são preocupantes. Em 1994, o Brasil recebeu da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) a certificação de área livre de circulação do poliovírus selvagem. O título só foi alcançado depois do esforço do governo brasileiro para disponibilizar a vacina gratuita em todo o país.

Caso as metas não sejam atingidas, a doença, que não tem cura e causa paralisia infantil, pode voltar. O Brasil, que não registrava casos de sarampo há anos, voltou a ter surtos desde 2018 por ter grande parte da população não vacinada.

Nas próximas semanas, deve entrar na pauta do Supremo Tribunal Federal uma ação de pais que defendem o direito de não vacinar o filho, com fundamento em convicções filosóficas, religiosas, morais e existenciais. O tema ganhou repercussão geral, ou seja, valerá também para a vacinação da covid-19, quando tiver um imunizante pronto e eficaz.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 1,90

Nos três primeiros meses,
após este período: R$ 15,90

  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês

  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Atenção! A sua revista EXAME deixa de ser quinzenal a partir da próxima edição. Produziremos uma tiragem mensal. Clique aqui para saber mais detalhes.
Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.