Brasil

Temer diz que poderá haver salvaguardas em texto da terceirização

O governo sancionou na semana passada um projeto de lei que permite a terceirização nas empresas sem restrição, incluindo as atividades-fim

Michel Temer: o presidente afirmou que, se for identificado prejuízo à proteção ao trabalhador, o texto pode ser alterado (Ueslei Marcelino/Reuters)

Michel Temer: o presidente afirmou que, se for identificado prejuízo à proteção ao trabalhador, o texto pode ser alterado (Ueslei Marcelino/Reuters)

AB

Agência Brasil

Publicado em 4 de abril de 2017 às 21h43.

O presidente Michel Temer disse que poderá incluir na reforma trabalhista "salvaguardas" aos trabalhadores terceirizados.

O governo sancionou na semana passada um projeto de lei aprovado na Câmara que permite a terceirização nas empresas sem restrição, incluindo as atividades-fim, tanto no setor público, quanto no privado.

Temer participou nesta terça-feira (4) da abertura da Feira Internacional de Defesa e Segurança (Laad), no Riocentro.

Segundo ele, o projeto recém-sancionado trata de flexibilização das regras de contratos temporários e não apenas de terceirização.

"Eu achava que o projeto da terceirização era complicadíssimo. É de uma leveza e simplicidade extraordinárias. Aliás, ele não trata exatamente da terceirização. Ele trata do trabalho temporário e só lá no finzinho é que trata da terceirização. Nós vetamos um ou outro artigo, que na verdade prejudicava os trabalhadores. Mas eu vetei porque isso já está previsto na Constituição", disse Temer.

O presidente afirmou que, se for identificado prejuízo à proteção ao trabalhador, o texto pode ser alterado.

"Se houver necessidade de salvaguarda, outras além daquelas que já estão no texto da lei, nós faremos. Temos a reforma trabalhista pela frente e acredito que, se surgirem coisas importantes, nós faremos. Pelo o que eu pude verificar no exame do projeto, não vi necessidade. Se houver, e o Executivo se convencer, nós faremos. Não queremos prejuízo nenhum para o trabalhador", frisou.

Acompanhe tudo sobre:Michel TemerReforma trabalhistaTerceirização

Mais de Brasil

Aos 78 anos, morre o ex-governador do Acre Romildo Magalhães

Morre o jornalista Sérgio Cabral, pai, aos 87 anos

Dunga, ex-técnico da Seleção Brasileira, e sua esposa sofrem acidente de carro no Paraná

PF apreende 12 milhões de maços de cigarros em São Paulo em maior operação na história

Mais na Exame