Se depender de mim, PR fica no governo, diz ministro

Encontro do partido marcado para esta terça-feira vai tratar de alinhar um discurso pró ou contra a continuidade do governo Dilma

	Antonio Carlos Rodrigues: ministro disse que se depender dele, "o partido não sai do governo de jeito nenhum"
 (André Corrêa/ Agência Senado)
Antonio Carlos Rodrigues: ministro disse que se depender dele, "o partido não sai do governo de jeito nenhum" (André Corrêa/ Agência Senado)
Por Gilberto AmendolaPublicado em 28/03/2016 19:10 | Última atualização em 28/03/2016 19:10Tempo de Leitura: 1 min de leitura

São Paulo - Além do PMDB, o PR, outro importante partido da base aliada, deve se reunir nesta terça-feira, 29, para decidir se continua ou desembarca definitivamente do governo Dilma Rousseff.

Ainda sem horário confirmado (portanto pode acontecer depois da reunião do PMDB), o encontro vai tratar de alinhar um discurso pró ou contra a continuidade desse governo.

O ministro dos Transportes Antonio Carlos Rodrigues (PR-SP), o Carlinhos, disse que se depender dele, "o partido não sai do governo de jeito nenhum".

"Eu não saio do governo, faço parte do governo Dilma", garante o ministro. Rodrigues pondera que o partido esteve até agora ocupando cargos importantes no governo e que não seria correto abandoná-lo nesse momento.

Além de ministro, Carlinhos é o primeiro suplente no Senado, na vaga de Marta Suplicy (PMDB -SP). É importante lembrar que quando Marta foi eleita ela ainda era PT - e Carlinhos fazia parte da chapa PT/PR. Com uma longa carreira de vereador em São Paulo, o ministro também é conhecido como um habilidoso articulador político.

O ministro diz não saber se essa é a posição hegemônica na sigla (pró-governo), mas garante que vai trabalhar para convencer seus pares. O PR tem 40 deputados.