Rubens Menin: 'Brasil precisa voltar para os trilhos'

De olho na vacinação na Europa e nos EUA, dono da MRV espera que a ciência "vença a guerra" e aposta que o Brasil tenha um "controle parcial da pandemia" a partir do meio do ano

Mesmo já vacinado, o empresário e bilionário Rubens Menin não abre mão de usar máscara e álcool em gel — os amigos e vizinhos vítimas da doença ou que estão hospitalizados o lembram a todo momento da importância de levar a pandemia a sério. De olho na vacinação dos Estados Unidos, onde tem uma subsidiária de sua construtora, e de Portugal, onde acaba de comprar mais uma quinta para sua vinícola, Menin tem esperanças de que, a partir do segundo semestre, o imunizante tenha alcance suficiente para destravar a economia brasileira.

"Eu nunca passei por uma época tão desafiadora e inesperada quanto essa, dessa dimensão. Minha expectativa é que a ciência vença a guerra. Estamos na mão da ciência", disse o empresário em entrevista à EXAME, que aposta que o país deve ter, entre vacinados e já contaminados, 70 milhões de pessoas imunes ao vírus. "Só isso que talvez nos dê um controle parcial da pandemia. O Brasil precisa voltar para os trilhos."

Comentando sua descendência portuguesa e italiana, Menin lembra que, no início do século 20, o Brasil era a "terra da promessa" e recebia muitos imigrantes, como seus avós. Mas que hoje, 120 anos depois, esse cenário mudou bastante — e não foi para melhor.

"Atualmente, 25.000 pessoas deixam o país todos os anos. Isso é ruim. Precisamos reter e até importar talentos, não exportar. Jogadores de futebol, cientistas...", diz ele, que também é o mecenas do Atlético-MG, que recentemente anunciou um investimento de 20 milhões de reais nas categorias de base. "Essa é uma das metas da minha vida. Mesmo investindo fora também, eu sou Brasil antes de qualquer coisa."

Empresário expande vinícola em Portugal e mira 360 mil litros em 2025

No último domingo, Menin revelou à EXAME com exclusividade mais uma etapa de expansão da Menin Douro Estates, sua vinícola em Portugal em sociedade com Cristiano Gomes. Com 55 hectares, dos quais 10 são de vinhas velhas centenárias, e uma adega cheia de tecnologia construída em 2012, a Horta Osório Wines — que já comercializa vinhos no Brasil com a marca 'HO' — agora passa a integrar o portfólio da vinícola de Menin.

Acreditamos que Portugal é o novo Eldorado do vinho, por oferecer um produto mais ou menos único no mundo, que combinar alta qualidade e bom preço. Isso é possível porque as terras chegam a ser 100 vezes mais baratas que na França, com um clima muito bom, que leva à uvas muito boas. Por isso acreditamos que o nosso vinho vai ter muito sucesso.

Rubens Menin

O empresário explica que a qualidade do vinho português evoluiu bastante nos últimos anos, principalmente após a implementação de uma escola de vinicultura em Vila Real, que oferece programas de mestrado e doutorado em vinho. A partir dessa iniciativa, as tecnologias às margens do Douro foram atualizadas, atraindo fluxo de turismo e novos investimentos — como os de Menin, que desde 2018 já investiu 30 milhões de euros na região. Leia sobre o novo negócio de Menin clicando aqui.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.