Reeleito em MG, Zema diz que apoiará Bolsonaro no 2° turno

O governador reeleito de Minas, Romeu Zema, disse que apoiará Bolsonaro e detalhes devem ser definidos "nos próximos dias"
Zema: declaração de apoio a Bolsonaro (Facebook/Reprodução)
Zema: declaração de apoio a Bolsonaro (Facebook/Reprodução)
D
Da Redação

Publicado em 04/10/2022 às 09:52.

Última atualização em 04/10/2022 às 10:09.

O governador de Minas Gerais, Romeu Zema (Novo), declarou que apoiará o presidente Jair Bolsonaro (PL) no segundo turno da eleição presidencial contra o ex-presidente Lula (PT).

Zema foi reeleito em primeiro turno para o governo de Minas Gerais, com mais de 56% dos votos contra Alexandre Kalil (PSD).

Receba as notícias mais relevantes do Brasil e do mundo toda manhã no seu e-mail. Cadastre-se na newsletter gratuita EXAME Desperta

A declaração foi dada à rede de televisão CNN na segunda-feira, 3, um dia após a eleição de primeiro turno.

"Não que eu concorde totalmente com as pautas do governo federal, mas estarei — muito provavelmente devemos estar acertando isso em mais um ou dois dias — ao lado do presidente Bolsonaro", disse, afirmando que seu objetivo é evitar que "o desastre do passado se repita".

"Meu grande objetivo é combater o PT", disse Zema.

Ele também havia declarado mais cedo à MG1, afiliada da TV Globo em Minas, que "apoiar o PT é impossível".

Em Minas, Kalil foi apoiado por Lula, mas Zema não chegou a oficialmente ser candidato de Bolsonaro, embora tenham havido tentativas de aproximação do presidente.

Na disputa presidencial, Lula venceu em Minas Gerais com 48,29% dos votos, contra 43,60% de Bolsonaro.

O resultado de Minas praticamente replicou o placar nacional: nacionalmente, foram 48,43% para Lula e 43,20% para Bolsonaro.

Minas foi o único estado da região Sudeste com vitória de Lula, enquanto São Paulo, Rio de Janeiro e Espírito Santo tiveram vantagem de Bolsonaro. No resto do país, Bolsonaro venceu no Centro-Oeste e Sul e Lula, no Nordeste. (Veja aqui o resultado por região.)

O apoio de Zema no segundo turno era um dos mais aguardados devido ao papel chave que Minas deve desempenhar no segundo turno: históricamente, desde a redemocratização, um presidente não é eleito no Brasil sem ganhar Minas Gerais.