Responsável pelo Enem, presidente do Inep se demite a quatro meses da prova

Próximo do ex-ministro Milton Ribeiro, Danilo Dupas se demitiu por "motivos pessoais", segundo o Ministério da Educação
Danilo Dupas: presidente do Inep indicado por Milton Ribeiro deixou o cargo (Inep/Divulgação)
Danilo Dupas: presidente do Inep indicado por Milton Ribeiro deixou o cargo (Inep/Divulgação)
D
Da redação, com agências

Publicado em 27/07/2022 às 13:01.

Última atualização em 27/07/2022 às 13:41.

O presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), Danilo Dupas, pediu para deixar o comando do órgão. O Inep é o responsável pela organização do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), marcado para 13 e 20 de novembro.

Assine a EXAME por menos de R$ 0,37/dia e acesse as notícias mais importantes do Brasil em tempo real.

A saída de Dupas foi anunciada nas redes sociais pelo ministro da Educação, Victor Godoy. O ministro afirmou que o servidor Carlos Moreno, atual diretor de Estatísticas Educacionais, ocupará o cargo interinamente.

"Anuncio ainda que a saída do atual presidente Danilo Dupas ocorreu por motivos pessoais e a pedido. Agradeço por todo o trabalho realizado nesse período, que trouxe avanços importantes para a Autarquia", escreveu Godoy no Twitter.

A agência O Globo apurou que Dupas justificou o pedido de demissão alegando que voltaria para o Mackenzie, onde atuava antes de integrar o governo.

Dupas é próximo do ex-ministro Milton Ribeiro, por quem foi indicado, e assumiu presidência do órgão em fevereiro de 2021. O ex-ministro Ribeiro está sendo investigado em meio a acusações de corrupção com pastores aliados no Ministério da Educação.

VEJA TAMBÉM: Balcão de operações no FNDE: entenda as acusações de corrupção contra Milton Ribeiro no MEC

Gestão de Dupas foi questionada

Dupas foi mantido no cargo por Ribeiro no ano passado após estar no centro de uma crise em que 37 servidores da autarquia entregaram os cargos. As renúncias ocorreram às vésperas do Enem 2021.

Os servidores denunciaram publicamente a conduta de Dupas à frente do órgão e relataram casos de assédio moral, censura e conduta indevida de Dupas no Inep.

Blindado por Milton Ribeiro, Dupas negou as acusações em audiência na Câmara dos Deputados e argumentou que os servidores estavam descontentes devido a mudanças promovidas por ele no órgão.

VEJA TAMBÉM: Enem 2022: até quando vai inscrição, datas e informações sobre a prova

Nesta quarta-feira, a saída de Dupas foi comemorada por funcionários da autarquia. Os servidores consideraram um sinal de deferência o fato de um servidor da autarquia assumir o cargo máximo no Inep, segundo a agência O Globo.

Quem é o novo presidente do Inep

Carlos Moreno, o novo presidente interino do órgão, é servidor de carreira do Inep e ocupava há 12 anos o cargo de Diretor de Estatística da autarquia, área responsável pelos Censos feitos pelo órgão, entre outros.

Carlos Moreno é mestre em estatística pela Universidade de Brasília e doutorando em Educação pela Universidade Católica de Brasília.

"Anuncio que a partir de 1° de agosto o diretor Carlos Moreno será o novo presidente do Inep, respondendo interinamente e garantindo a continuidade dos exames e avaliações fundamentais para toda a sociedade brasileira. Já ocupou diversas funções no INEP e conhece profundamente os processos, avaliações e exames da Autarquia", escreveu o ministro da Educação.

Novo presidente tranquiliza candidatos do Enem

Em entrevista ao jornal O Globo, o novo presidente do Inep buscou tranquilizar os candidatos de avaliações do órgão, como o Enem. Afirmou que assume para "dar tranquilidade" aos que estão inscritos nas provas.

"Faço parte desse corpo de servidores que tem o compromisso de garantir essas entregas nesse momento difícil, faltando 5 meses para a conclusão desse governo, tendo eleições. Assumo para dar essa tranquilidade sobretudo para aqueles que estão inscritos no Enem, no Enade, e no Revalida, que são exames que ainda serão aplicados pelo Inep neste ano. Essa é minha missão aqui nesse momento", afirmou Moreno.

Questionado se ficará no cargo até o final do mandato do presidente Jair Bolsonaro, o novo presidente do Inep afirmou que essa possibilidade ainda não está na mesa.

"A gente tem que que cumprir as missões quando elas vão acontecendo e acho que a missão agora é dar essa estabilidade na transição com a saída do presidente Danilo. Essa é minha missão agora. Como servidor do Inep, eu me sinto muito confortável em cumpri-la, embora saiba que é muito difícil dada a complexidade das ações que o Inep desenvolve", disse.

Implementação do Fundeb

Além das avaliações feitas pelo órgão, Moreno destacou que a implementação do novo Fundeb é mais um desafio para o corpo técnico do Inep. O Fundeb, fundo de desenvolvimento da educação básica e que existe desde 2007, é visto como uma das principais políticas de financiamento da educação no Brasil.

O fundo foi tornado permanente e ampliado pelo Congresso em 2020. Parte dos novos recursos está vinculado a avaliações de desempenho das redes estaduais e municipais, provas pelas quais o Inep é responsável.

"O novo Fundeb será implementado agora com novos indicadores e são ações que estão regularmente sendo desenvolvidas pelo corpo técnico do Inep. Tudo isso precisa de atenção, muito profissionalismo e dedicação dos servidores. A gente não pode deixar que a saída do presidente Danilo tenha qualquer impacto em relação às atividades que estão em andamento", disse.

(Com Agência O Globo)


Quando acontece o Enem 2022?

O Enem 2022 está marcado para 13 e 20 de novembro, tanto na versão digital quanto impressa. O início das provas é às 13h30 de cada dia.

As inscrições para a prova se encerraram em maio, e não é mais possível se inscrever para realizar o exame. Os participantes receberão todas as informações necessárias pelo e-mail cadastrado no ato da inscrição.

O que cai no Enem?

O exame é constituído de quatro provas objetivas e uma redação em língua portuguesa. Cada prova objetiva tem 45 questões de múltipla escolha.

O Enem nasceu em 1998 para avaliar os conhecimentos do Ensino Médio, mas foi ampliado nos anos 2000 para se tornar uma porta de ingresso ao Ensino Superior.

Atualmente, além da possibilidade de obter um certificado de conclusão do Ensino Médio, a pontuação do Enem dá acesso a programas em universidades públicas e particulares, incluindo bolsas de estudo. Veja aqui todas as informações sobre o Enem e onde usar a nota da prova.

Veja também:

Liberação para 5G em Belo Horizonte, João Pessoa e Porto Alegre é aprovada

Com câmeras corporais, letalidade policial em SP é a menor desde 2005