Brasil
Acompanhe:

PM do Rio divulga balanço das prisões e apreensões na Rocinha

Para ajudar no policiamento, 950 homens do Exército, da Marinha e da Aeronáutica foram mobilizados

 (Bruno Kelly/Reuters)

(Bruno Kelly/Reuters)

V
Valéria Bretas

23 de setembro de 2017, 10h36

São Paulo – A Polícia Militar (PM) do Estado do Rio de Janeiro divulgou o balanço das operações realizadas nos últimos dias na comunidade da Rocinha.

De acordo com o relatório da PM, até sexta-feira (22), cinco homens foram presos, três criminosos foram feridos e um adolescente foi apreendido.

Os policiais também apreenderam 2 fuzis, 8 pistolas, 8 granadas, 9 carregadores de fuzil, 2 carregadores de pistola, 65 munições de fuzil, 61 munições de pistola, 8 rádios transmissores, 2 motocicletas, 21 máquinas caça-níqueis, 29 kg de maconha e 6.052 sacolés da mesma droga, 260 pinos de cocaína, 120 sacolés de crack e 8 frascos de lança perfume.

Na madrugada deste sábado (23), um novo tiroteio foi ouvido na comunidade. Por volta das 4h30, os policiais entraram em confronto com os criminosos quando eles tentaram romper o bloqueio do cerco estabelecido pelas Forças Armadas nas proximidades da Rua General Olímpio Mourão Filho. Na operação, um fuzil AK47 calibre 7,62mm foi apreendido. Veja o registro:

Para ajudar no policiamento, as Forças Armadas foram acionadas. Desde às 16h10 de sexta-feira (22), soldados do Exército e da Aeronáutica fizeram um cerco na Rocinha. Ao todo, 950 homens do Exército, da Marinha e da Aeronáutica estão mobilizados, além de dezenas de blindados e helicópteros. Mais três batalhões do Exército, que somam quase 3 mil homens, estão prontos, caso a situação se agrave.

Confronto entre facções

Desde o último final de semana, traficantes se enfrentam em uma disputa interna pelo controle dos pontos de venda de drogas na Rocinha, a maior favela do Rio, com mais de 150 mil moradores.

O confronto começou quando o traficante Antonio Francisco Bonfim Lopes, o Nem da Rocinha, determinou de dentro da Penitenciária Federal de Porto Velho, em Rondônia, através de pessoas que o visitam, a retomada dos pontos de drogas na comunidade.

Atualmente, a favela é dominada pelo traficante Rogério Avelino da Silva, o Rogério 157.

Com isso, dezenas de homens fortemente armados invadiram a Rocinha na madrugada de sábado para domingo (17), em confronto entre as duas quadrilhas, quando três pessoas ligadas ao tráfico foram mortas e três moradores acabaram feridos por balas perdidas.