A página inicial está de cara nova Experimentar close button

PF: 8 milhões para Lula

Para a Polícia Federal, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva recebeu 8 milhões de reais da Odebrecht como propina em operações que estão sendo investigadas pela Lava-Jato. Lula seria o “amigo” que aparece descrito nas planilhas apreendidas na sede da empreiteira, em São Paulo. A informação está no despacho que indiciou o ex-ministro Antonio Palocci pelo crime de corrupção passiva. De acordo com a PF, Palocci também teria recebido propina da empreiteira.

De acordo com o delegado Filipe Hille Pace, responsável pelo caso, “há respaldo probatório e coerência investigativa em se considerar que o ‘AMIGO’ das planilhas faça referência a Luiz Inácio Lula da Silva”. Os repasses eram feitos de uma espécie de conta-corrente com 23 milhões de reais que a empreiteira mantinha para o pagamento de propina proveniente de corrupção para o ex-presidente. Uma anotação na planilha faz referência ao pagamento de 8 milhões “sob solicitação e coordenação de Palocci” em 2012. Não se sabe o que aconteceu com os outros 15 milhões.

A conclusão da polícia se baseia no fato de o ex-presidente da Odebrecht, Marcelo Odebrecht, que está preso em Curitiba, se referir a Lula como “amigo do meu pai” e “amigo de EO (Emilio Odebrecht)” em e-mails apreendidos. No domingo, o jornal Folha de S. Paulo noticiou que a Arena Corinthians, conhecida como Itaquerão, foi uma espécie de presente da empreiteira para Lula que teria sido planejado por Emilio Odebrecht. Emilio teria dado essa informação como parte da negociação para um acordo de delação premiada. Outros beneficiados da planilha seriam o próprio Palocci e alguém identificado como “pós-Itália”, que seria o também ex-ministro Guido Mantega.

Além de Palocci, o empreiteiro Marcelo Odebrecht, o casal de marqueteiros do PT João Santana e Mônica Moura, o assessor de Palocci, Branislav Kontic também foram indiciados pela Polícia Federal por crimes relacionados à 35ª fase da Operação Lava-Jato. Segundo as investigações, entre 2008 e 2013, 128 milhões de reais teriam sido pagos pela empreiteira ao PT e a pessoas ligadas ao partido. A propina teria sido repassada pelo Setor de Operações Estruturadas da Odebrecht, criado somente para administrar propinas a agentes públicos.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 4,90/mês
  • R$ 14,90 a partir do segundo mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 129,90/ano
  • R$ 129,90 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 10,83 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Veja também