O que se sabe sobre a morte de homem colocado em viatura da PRF em Segipe

Familiares afirmam que Genivaldo de Jesus Santos tinha transtornos mentais
Santos ainda chegou a ser encaminhado a um hospital local, mas teve a morte confirmada (Twitter/Reprodução)
Santos ainda chegou a ser encaminhado a um hospital local, mas teve a morte confirmada (Twitter/Reprodução)
Por Agência O GloboPublicado em 26/05/2022 10:42 | Última atualização em 26/05/2022 10:42Tempo de Leitura: 3 min de leitura

Um homem de 43 anos morreu após uma abordagem da Polícia Rodoviária Federal (PRF) na BR-101 no município de Umbaúba, no litoral de Sergipe, nesta quarta-feira. O laudo do Instituto Médico Legal (IML) apontou que a vítima, Genivaldo de Jesus Santos, sofreu asfixia mecânica e insuficiência respiratória aguda.

Imagens da ação foram compartilhadas em redes sociais e mostram a vítima sendo algemada no chão por dois agentes e, em seguida, sendo colocada por eles no porta-malas da viatura, de onde saí a fumaça, que teria causado a sua morte, por intoxicação.

Veja imagens do caso. Atenção: a gravação contém cenas fortes

— Eu estava próximo e vi tudo. Informei aos agentes que o meu tio tinha transtorno mental. Eles pediram para que ele levantasse as mãos e encontraram no bolso dele cartelas de medicamentos. Meu tio ficou nervoso e perguntou o que tinha feito. Eu pedi que ele se acalmasse e que me ouvisse — afirmou Wallyson de Jesus, sobrinho da vítima.

LEIA TAMBÉM: Ação que matou 25 no Rio: o que dizem Bolsonaro, Fachin, Castro e Freixo

Homem chegou a ser socorrido

Santos ainda chegou a ser encaminhado a um hospital local, mas teve a morte confirmada. Em nota, a PRF informou que abriu um procedimento disciplinar para averiguar a conduta dos policiais envolvidos.

O comunicado afirma, ainda, que técnicas de imobilização e instrumentos de menor potencial ofensivo foram empregadas para conter o homem, segundo a PRF, estava agressivo.

Agentes teriam sido avisados sobre doença

Wallyson ainda disse que a vítima foi abordada por agentes da PRF quando pilotava uma motocicleta. De acordo com ele, os policiais ignoraram os apelos, fizeram o uso de spray de pimenta e colocaram a vítima dentro do porta-malas da viatura.

Ainda segundo Wallyson, Genivaldo teria ficado nervoso ao ser abordado e que, mesmo tentando dialogar com os agentes, os policiais não teriam atendido ao seu apelo. O caso é investigado pela Polícia Civil.

PRF lamenta o ocorrido

Por meio de uma nota divulgada à imprensa, a PRF informou que instaurou um procedimento para apurar a conduta dos agentes envolvidos na abordagem.

"Ele foi conduzido à Delegacia de Polícia Civil. No entanto, durante o deslocamento, passou mal, foi socorrido e levado para o Hospital José Nailson Moura, onde posteriormente foi atendido e constatado o óbito", diz a nota do órgão.

A PRF informou, também, que a vítima "resistiu ativamente à abordagem" e que teriam sido "empregadas técnicas de imobilização e instrumentos de menor potencial ofensivo para sua contenção", para tentar contê-lo.

Despedida

De acordo com a Secretaria de Segurança Pública de Sergipe, outros exames foram realizados para confirmar a razão da morte. O corpo de Genivaldo foi liberado do IML já na noite de ontem. O velório ocorrerá no povoado Mangabeira, em Santa Luzia do Itanhy, no Litoral Sul do estado.

LEIA TAMBÉM