Mourão defende uso de royalties do petróleo contra variação de preço

Mourão afirmou que cerca de 25% do diesel e da gasolina consumidos no Brasil é importado
 (Reuters/Alan Santos/PR)
(Reuters/Alan Santos/PR)
Por Estadão ConteúdoPublicado em 23/05/2022 10:36 | Última atualização em 23/05/2022 10:36Tempo de Leitura: 1 min de leitura

O vice-presidente da República, Hamilton Mourão, voltou a defender que os royalties pagos pela Petrobras para o governo sejam alocados em um fundo para minimizar variações de preços dos combustíveis internos em momentos de crise. A equipe econômica é contrária a esta solução, mas uma ala do governo ainda insiste nesta saída.

"Esses royalties deveriam ser concentrados desde já em um fundo e esse fundo seria o equalizador para os momentos de grande flutuação no preço do petróleo", disse.

Mourão afirmou que cerca de 25% do diesel e da gasolina consumidos no Brasil é importado. "(Por causa de) decisões do passado, da questão de monopólio, nós não temos essa capacidade de refino e, consequentemente, há essa necessidade de praticarmos essa paridade com os preços internacionais", argumentou.

LEIA TAMBÉM: Gasolina pode ficar mais barata com 'novo ICMS'? Entenda a polêmica

Durante palestra no 18º Congresso Catarinense de Rádio e TV, Mourão declarou também que a pandemia da covid-19 trouxe inflação de demanda com encarecimento de alimentos e combustíveis. Segundo o vice-presidente, a elevação da inflação foi vitaminada pela "decisão equivocada" do presidente da Rússia Vladimir Putin, sobre a Ucrânia.

VEJA TAMBÉM: Pesquisa eleitoral: 11% mudariam de voto para evitar segundo turno