Lula: ONU não está à altura do que o mundo precisa

"Por que a ONU foi suficientemente forte para criar Israel em 1948 e não tem força em 2012 para criar um Estado palestino?", indagou

Paris – A ONU “não está à altura do que o mundo precisa”, considerou nesta quarta-feira o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, ao defender o multilateralismo e pedir uma renovação das instâncias mundiais de decisão.

No discurso de encerramento do Fórum do Progresso Social organizado em Paris pela Fundação Jean Jaurès e pelo Instituto Lula, o ex-presidente defendeu o multilateralismo, afirmando que o problema nas instâncias internacionais, como o G20, não é que não sejam tomadas decisões, e sim que “não existam instituições capazes de coordenar sua aplicação entre os Estados”.

Ao mencionar a proposta feita na véspera pelo presidente francês, François Hollande, de criar um Conselho de Segurança Econômica na ONU, lembrou que esta é uma ideia antiga que nunca foi aplicada.

“Hoje a ONU não tem muito poder, não está à altura do que o mundo precisa”, afirmou, afirmando imediatamente “Por que a ONU foi suficientemente forte para criar Israel em 1948 e não tem força em 2012 para criar um Estado palestino?”

Lula lembrou sua trajetória política e os primeiros dias de seu mandato presidencial, quando, segundo ele, alguns afirmavam que o problema do Brasil “não tinha solução”.

“Eu decidi fazer o necessário, e apenas o possível, e terminamos fazendo o impossível”, afirmou.

“Dizia-se que era necessário deixar o bolo crescer antes de distribui-lo. Nós provamos que se pode distribuir primeiro e que o crescimento vem depois”, afirmou, defendendo uma política de justiça social, sem a qual não há progresso possível.

Ele concluiu seu discurso evocando o “espírito da Revolução Francesa” e desejou que este esteja nas mentes para que a crise seja combatida.

Suporte a Exame, por favor desabilite seu Adblock.