Lula chega ao ponto alto da caravana pelo Nordeste

Em Pernambuco, a agenda será cheia de momentos pensados para ressaltar seu apelo popular

Lula chega a Pernambuco nesta quinta-feira, seu estado natal e reduto eleitoral do PT. O ex-presidente segue sua caravana pelo Nordeste, que começou na quinta passada pela Bahia e já subiu por Sergipe e Alagoas, onde dividiu palanque e elogios com o senador peemedebista Renan Calheiros — uma mostra clara de que seu modo de fazer política segue o mesmo. O apelo populista também se mantém.

Às Sete – um guia rápido para começar seu dia

Leia também estas outras notícias da seção Às Sete e comece o dia bem informado:

Em Pernambuco, a agenda será cheia de momentos pensados para ressaltar seu apelo popular: na quinta-feira, às 16h, Lula visita o Museu Cais do Sertão, em homenagem a Luiz Gonzaga; na sexta, às 10h, segue para Ipojuca, para participar de ato com trabalhadores da indústria petrolífera e naval; às 16h, está marcado um ato no Pátio do Carmo, no centro do Recife, que, segundo os organizadores, deve arrastar uma multidão de apoiadores; e, para encerrar sua passagem, no sábado, o ex-presidente visita a comunidade de pescadores Brasília Teimosa, às 10h. Um roteiro que certamente lhe renderá uma galeria de boas imagens.

Nas últimas eleições presidenciais, em 2014, Dilma Rousseff foi reeleita com preferência de 70% dos eleitores pernambucanos. Uma pesquisa realizada em abril pelo instituto pernambucano Uninassau mostra que, para 2018, Lula é o preferido de 65% – ante meros 6% de Jair Bolsonaro e Marina Silva, que era vice da chapa do ex-governador Eduardo Campos, antes do acidente. O dado reflete como o ex-presidente não teve sua imagem marcada pelo impeachment de Dilma — uma pesquisa realizada em julho do ano passado pelo mesmo instituto mostrou que 75% dos recifenses não queriam que a presidente voltasse a assumir o cargo.

Para a visita de Lula a Pernambuco, uma das expectativas é a de que ele encontre a ex-primeira-dama do estado, Renata Campos, no que seria um sinal de reaproximação entre PT e PSB, que desembarcou do governo Temer. Na semana passada, o governador Paulo Câmara (PSB) recebeu o ex-prefeito de São Paulo e ex-ministro de Lula, Fernando Haddad, que é visto como o plano B do PT para 2018. Em Pernambuco, a reeleição do atual governador está na corda bamba — sua gestão é desaprovada por 74% dos eleitores, de acordo com o Instituto Uninassau —, e subir no palanque com Lula lhe seria de grande ajuda.

Para o ex-presidente, como se sabe, qualquer apoio é bem-vindo. Qualquer mesmo.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.