A página inicial está de cara nova Experimentar close button

Intervenção no RJ tem aval do Congresso até fim de 2018

O decreto do presidente Michel Temer, que fora aprovado pela Câmara na madrugada da própria terça, recebeu o aval dos senadores por 55 votos a 13

O Senado aprovou na noite de terça-feira o decreto de intervenção federal na segurança pública do Rio de Janeiro, concluindo a tramitação na matéria no Congresso e autorizando a aplicação da medida até o último dia de 2018.

O decreto do presidente Michel Temer, que fora aprovado pela Câmara na madrugada da própria terça, recebeu o aval dos senadores por 55 votos a 13, com uma abstenção, em votação realizada perto da meia-noite, informou a Agência Senado. A matéria agora será promulgada.

Com a aprovação do decreto, nenhuma Proposta de Emenda à Constituição (PEC) tramitará no Congresso, uma vez que a Carta Magna determina que seu texto não poderá ser alterado na vigência de uma intervenção federal.

Isso impacta diretamente na votação da reforma da Previdência, que tinha o início de sua discussão previsto para esta semana. Com a intervenção, o tema foi enterrado.

O relator da intervenção no Senado, Eduardo Lopes (PRB-RJ), afirmou que o Estado do Rio de Janeiro enfrenta onda grave de violência e a população vive "assustada e com medo", e que o decreto de intervenção na segurança pública, que coloca um general do Exército como interventor para coordenar o combate à violência, tem por objetivo extinguir o "grave comprometimento da ordem pública no Estado do Rio de Janeiro", de acordo com a agência.

Assim como ocorrera na Câmara, parlamentares da oposição tentaram impedir a aprovação da medida, a qual classificaram de desnecessária, mal justificada e dispendiosa, mas a maioria governista conseguiu aprovar a intervenção com folga de votos.

A relatora da proposta na Câmara, deputada Laura Carneiro (MDB-RJ), incluiu duas sugestões ao Poder Executivo em seu parecer.

Ela pediu que o governo federal apresente recursos em caráter continuado para segurança pública e áreas de assistência social, e também sugeriu que o Poder Executivo regulamente o poder de polícia das Forças Armadas e estabeleça diálogos com o Ministério Público e o Judiciário para o controle externo da operação.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 4,90/mês
  • R$ 14,90 a partir do segundo mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 129,90/ano
  • R$ 129,90 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 10,83 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Veja também