Governo de SP muda regras da quarentena, mas mantém comércio aberto

A decisão de deixar mais rígida a quarentena ocorre uma semana depois das festas de fim de ano. Especialistas em saúde alertaram a explosão de casos

O governo de São Paulo decidiu, nesta sexta-feira, 8, alterar algumas regras da quarentena no estado para deixar a mudança para fases mais difícil. Com isso, colocou 13 regiões na fase 3 amarela, e outras quatro regiões na fase 2 laranja. A escala vai de 1 vermelha – a mais restrita – até a 5 azul. A quarentena entra em vigor na segunda-feira, 11, e tem validade até dia 5 de fevereiro.

Isso significa que 90% da população do estado está na fase 3 amarela da quarentena, e 10% ficaram na fase 2 laranja. Na fase 3 amarela, o comércio pode abrir com 40% da capacidade, com algumas especificações de horário, sendo mais restrito no período noturno (veja abaixo).

A Grande São Paulo está nesta fase 3 amarela desde o começo de dezembro, e só teve alteração no horário máximo de abertura do comércio e de shoppings, que passou de 12 horas para 10 horas por dia.

Apesar de ter reduzido o horário de funcionamento na fase 3 amarela, na fase 2 laranja a abertura foi no sentido oposto e ficou mais flexível. Setores, como os bares e salões de beleza, que antes estavam proibidos de funcionar, agora podem abrir. A capacidade do comércio aumentou, de 20% para 40% (veja abaixo).

Ficaram na fase 2 laranja as regiões de Presidente Prudente, Marília, Sorocaba e Registro, estas três últimas ficaram com atividades mais restritas em relação à última classificação.

Além das mudanças no funcionamento do comércio, o comitê de saúde alterou critérios de classificação. Entre as novidades está na taxa de ocupação de leitos de UTI. Uma região vai para a fase 2 laranja, por exemplo, assim que atingir 70% de taxa de ocupação de leitos de UTI, antes era 75%.

A quarentena estava prevista para ser alterada no estado na quinta-feira, 7, mas o governador João Doria (PSDB) decidiu adiar a atualização por conta do anúncio de eficácia de 78% da vacina do Butantan/Sinovac em casos leves da doença nos testes realizados no Brasil.

A decisão de deixar mais rígida a quarentena, especialmente no período noturno, ocorre uma semana depois das festas de fim de ano, período em que diversos especialistas de saúde alertaram sobre aglomerações e que o resultado seria uma explosão de casos. O tempo de manifestação dos sintomas de covid-19 logo após o contato com o vírus se dá em até 14 dias, por isso, os números devem subir ainda mais nos próximos dias.

O estado São Paulo tem um total de 1.528.952 casos confirmados e 48.029 mortes causadas pela covid-19, segundo dados da Secretaria Estadual da Saúde. A média diária de novos casos está em 7.552 e se mantém neste patamar desde o começo de dezembro. Somente nos últimos três dias, os casos confirmados ficaram acima de 12.000, número comparado ao pico da doença no estado, no meio de 2020.

A taxa de ocupação dos leitos de UTI está em 63% no estado e em 65% na Grande São Paulo. Todo o estado tem um total de 5.000 pessoas internadas em leitos de UTI.

Antes do Natal, o Centro de Contingência da Covid-19 do estado de São Paulo chegou a emitir uma carta se mostrando preocupado com as aglomerações das festas de fim de ano.

No período de festas, o governo de São Paulo decidiu deixar por poucos dias a quarentena mais restrita em todas as regiões. O objetivo do governo estadual foi frear o avanço da covid-19, que registou um aumento de 68% nos casos da doença no mês de dezembro. Mas os números apontam que a estratégia não se mostrou eficaz.

A Grande São Paulo está com uma taxa de ocupação de leitos de UTI de 65%. A média diária de internações (somando enfermaria e UTI) está em 758 uma das mais altas desde o começo de novembro. A média de casos está em 2.889, quase o dobro do registrado há dois meses.

Em algumas regiões do interior os dados são mais preocupantes. Em Sorocaba, a ocupação de leitos de UTI está com 74%, e a média diária de novas internações é de 56, valor que se mantém há um mês e é similar ao registrado no pico, em julho. Somente na quinta-feira, 7, foram registradas 70 internações, um dos mais altos números desde o início da pandemia.

Regras da quarentena válida nas regiões que estão na fase 3 amarela

  • Capacidade de atendimento de comércio de rua, shoppings, bares, restaurantes e salões de beleza é de 40%, por no máximo 10 horas por dia, até as 22 horas. Antes os shoppings e comércio podiam abrir por 12 horas.
  • Bares podem funcionar até as 20 horas.
  • Restaurantes podem funcionar até as 22 horas, mas o serviço de bebida alcoólica precisa ser encerrado até 20 horas.
  • Eventos com público em pé estão proibidos. Só são permitidos eventos com pessoas sentadas e capacidade de 40%. É necessária a venda antecipada de ingressos.
  • Nas academias a capacidade máxima é de 40%.
  • Os parques continuam abertos.

Regras da quarentena válida nas regiões que estão na fase 2 laranja

  • Capacidade de atendimento de comércio de rua, shoppings, restaurantes é de 40%, por no máximo 8 horas por dia, até as 20 horas. Antes era capacidade de 20%, por 4 horas por dia.
  • Salões de beleza podem abrir, com 40% da capacidade. Antes eles precisavam fechar.
  • Bares só podem fazer atendimento no sistema delivery. Antes precisavam ficar fechados.
  • Nas academias a capacidade máxima é de 40%. Antes precisavam ficar fechadas.
  • Os parques continuam abertos.
De 0 a 10 quanto você recomendaria Exame para um amigo ou parente?

Clicando em um dos números acima e finalizando sua avaliação você nos ajudará a melhorar ainda mais.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 15,90/mês

  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 44,90/mês

  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa quinzenal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Atenção! A sua revista EXAME deixa de ser quinzenal a partir da próxima edição. Produziremos uma tiragem mensal. Clique aqui para saber mais detalhes.